quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Brasileiros condenados à morte na Indonésia

E a Presidente Dilma pediu ao presidente da Indonésia Susilo Bambang Yudhoyono que ele interceda pelo brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, condenado à morte por tráfico de drogas naquele país. Creio que, apesar do pedido da nossa presidente, ser muito difícil que haja algum sucesso nesse sentido. Instrutor de windsurf, Marco foi preso em 2003 ao tentar entrar no país com 13 kg de cocaína escondidos em seu equipamento. Por sinal, o mesmo pedido feito pela presidente vale também para outro brasileiro, o também surfista Rodrigo Gularte, preso na mesma situação, um ano depois. Rodrigo foi condenado à pena de morte e aguarda a execução. Quando digo ser difícil algum sucesso que possa reverter a situação dos brasileiros, levo em consideração o fato da tentativa feita pelo então presidente Lula no ano de 2005, quando naquela oportunidade pediu clemência diante do fato, argumentando que o Brasil não prevê à pena de morte. Em 2010, o mesmo pedido foi feito, porém, o perdão não foi concedido. A lei na Indonésia em relação às drogas, traficantes e até usuários é rigorosíssima. É uma situação muito delicada.
Comentário(s)
6 Comentário(s)

6 comentários :

  1. Adaptação. Vejo, Paulo César, ser essa a palavra de ordem quando saímos de nosso país. O nosso mal é que estamos acostumados, apadrinhados, com o paternalismo, que nunca achamos que irá acontecer consco. E, depois é arcarmos com as consequências.
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  2. Por um lado, esses brasileiros buscaram isso, e antes de pensarem em traficarem, deveriam ter, no mínimo, pesquisado sobre o país onde eles pretendiam traficar essa cocaína, e o Governo da Indonésia está no seu direito de julgá-los, pois os infratores são os playboys brasileiros, é complicado, mas espero que esse perdão seja concedido.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Oi Paulo,

    Tenho acompanhando esses casos e outros que aconteceram na Indonésia e concordo que a aplicação da pena de morte é também efeito demonstração. Assim, não percebo exito no pedido. Estou sem net e espero que consiga publicar o comentário.

    Beijos,

    ResponderExcluir
  4. Amigo Paulo César,
    Até para ser criminoso precisa de inteligência e prudência.
    Todos nós sabemos do rigor que são as leis muçulmanas contra o tráfico de drogas, portanto, como alguém vai correr tanto risco assim para ganhar dinheiro fácil ilegalmente? É muito melhor trabalhar honestamente e ganhar seu dinheirinho para sua subsistência.
    Apesar Marco Archer Cardoso Moreire ser daqui, do Amazonas, não tenho dó dele, pois deveria saber que nem todo país é permissivo com o crime como o Brasil é, mas lamento sua situação e que sirva de exemplo.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Essa questão é complicadíssima amigo Paulo!

    Eu sei que aqui não tem pena de morte, mas lá tem... E eles infringiram as leis de lá!
    Seria como se eu fosse na sua casa e infringisse as suas leis pessoais... Sei lá viu.
    Notei que no seu texto você mesmo não deu a sua opinião como é de praxe... Realmente é complicado!

    ResponderExcluir
  6. convido a todos a conhecer melhor a historia de Marco Archer aqui http://www.ipetitions.com/petition/free-curumim/

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100