sábado, 29 de setembro de 2012

Há 20 anos

Após a ditadura, o primeiro presidente eleito de forma democrática no país, isto é, pelo voto do cidadão, foi Fernando Collor de Mello. Fato importante para o país naquele momento. Porém, muitos de nós ainda mantemos acesas as lembranças do que veio depois disso. Vários foram os fatos negativos que circundaram o cenário político naquele momento. Durante meses uma série de escândalos foram denunciados a respeito do governo do presidente Collor, e entre eles, o chamado “esquema PC Farias”. Ficou insustentável assim, em meio a tantas denúncias, ele continuar presidindo o país naquela situação. Até que, em 29 de setembro de 1992, a Câmara dos Deputados, em uma votação histórica, aprovou a abertura do processo de impeachment contra ele, que em seguida renunciaria ao poder para não ter seus direitos políticos cassados. Essa sua intenção acabou não dando o resultado que esperava, pois o Senado deu continuidade a votação de impeachment; o que acabou por torná-lo inelegível para cargos públicos por oito anos. Dessa maneira, Fernando Collor, além de ter sido o primeiro presidente eleito pelo voto popular, também foi o primeiro a sofrer processo de impeachment. Nossa democracia é muito jovem ainda. Esse fato, embora negativo, contribuiu para um certo amadurecimento político de todos nós. Reconheço que continuamos a errar muito nesse sentido, entretanto, uma consciência política mais consistente será o resultado daquilo que aprenderemos com os nossos próprios erros. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
5 Comentário(s)

5 comentários :

  1. Com o tempo o povo toma conscxiência politica. A pergunta que se faz é. E os politicos? Também? Porque amigo há cada um na política...
    Um abraço e bom fim de semana.

    À margem:
    Não se preocupe com a frequência das visitas. Quando elas se fazem por obrigação deixam de nos dar prazer.
    Eu também ando menos por aqui agora.

    ResponderExcluir
  2. Olá, grande amigo Paulo César!
    Foi-me muito bom relembrar esse fato, pois, assim, poderemos compará-lo com o momento.
    Fui testemunha deste fato histórico e não tinha noção de sua importância.
    Na época, achamos um absurdo todas essas acusações, porém, vendo hoje a magnitude do Mensalão, o Caso Collor foi uma pequena cena diante deste filme de horrores, mas o Presidente nem foi abalado. Parece que aceitamos e nos consolamos com a impunidade.

    Valeu o registro, amigo!

    Abraços e ótimo fim de semana para ti e família.

    ResponderExcluir
  3. Hoje faz 20 anos que o 'caçador de marajás' foi impixado, mas como estamos no Brasil, depois de fazer a nação de babaca, roubar e tirar muita onda, o Collor, hoje em dia, está de novo mamando nos cofres públicos, agora como senador. Esse é o nosso Brasil.

    Abração PC.

    ResponderExcluir
  4. Paulo, querido amigo!
    20 anos! Passa voando o tempo mesmo.
    A única coisa que guarda de bom disso tudo é que não votei nesse cara! Na época já votei no Lula.


    Vim também te agradecer pelo carinho das palavras lá no Humoremconto.
    Aqui é também um espaço que tenho o maior respeito e admiração, assim como por você.
    Beijos e até!

    ResponderExcluir
  5. Eu era péquenina nesta época, mas sei de toda a história. Parece que naquele tempo as pessoas tinham mais ideal que nos dias de hoje, hoje cada um tem um plano pessoal e particular, deixando o coletivo bem nos calcanhares. Mas o que me deixa triste nos dias atuais é saber que mesmo as pessoas tendo tantos direitos, ainda se deixam levar com papinhos baratos, presentes e promessas, ameaças sem fundamento. Fico muito triste com o fato das pessoas aceitarem tudo de forma tão fácil, tão cômoda.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100