quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Sobre a Rede TV

Reprodução/ site da emissora
Tenho acompanhado na imprensa algumas notícias a respeito dos problemas que ocorrem na Rede TV. Com sede em São Paulo, a emissora parece viver sintomas bem-parecidos ao de sua antecessora, Rede Manchete, que tinha sua sede no Rio de Janeiro. A Rede TV existe desde 1999. Com a Rede Manchete afundada em uma crise profunda, os empresários Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho compraram as cinco concessões da emissora carioca; o canal de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza. Era o fim da Manchete e o surgimento da Rede TV. Mas essa não é a primeira vez, no caso do Rio de Janeiro, que uma emissora nessa mesma frequência de canal passa por problemas. Bem antes da Rede TV e antes mesmo da saudosa Rede Manchete; quem ocupava essa mesma frequência do canal 6 na capital fluminense, era a também saudosa Rede Tupi. Fato é que, tanto a Tupi, emissora do Grupo Diários Associados e a Manchete, emissora do Grupo Bloch, faliram. A Rede TV, segundo os noticiários, vem passando por problemas sérios. A baixa audiência e os atrasos de salários estão entre eles. É possível também que a situação atual da emissora seja apenas uma fase difícil. Porém, tudo aquilo que contribuiu para o fracasso da sua antecessora, creio que deveria, a meu juízo, lhe servir de alerta agora. Afinal, a morte da Manchete começou com pequenos problemas, que depois se tornaram grandes e insustentáveis ao final. Dessa maneira, o fim foi inevitável.
Comentário(s)
4 Comentário(s)

4 comentários :

  1. Mas... também, meu caro Paulo César, a qualidade de programação dessa Rede TV deixa em muito a desejar! Chega-se a um ponto em tudo na vida que ou muda, ou morre... Possibilidades há basta que se empenhem em mudanças!
    [ ] Célia.

    ResponderExcluir
  2. Paulo,

    Tudo bem? a questão da Rede TV é na minha opinião relacionada a gestão. Li uma reportagem que há uma disputa entre os sócios e interesses pessoais na questão. Esperamos que os problemas sejam resolvidos porque permite competitividade no segmento.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. A alguns anos falaram a respeito de um empréstimo que a emissora tinha pedido, empréstimo esse que os empresários não sabiam como pagar isso segundo a mídia, a emissora apesar de não ter uma programação com mais conteúdo, tinha sua audiência fiel, quando o programa Pânico estava na emissora. Ouvi dizer na mídia que a Luciana que apresenta o Super POP, está a 9 meses sem receber o seu salário,e que a mesma está em negociação com outras emissoras.
    Grande Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Olá PCzão! Tudo bem aí meu amigo?

    Rapaz... A gente sabe que os tempos são outros né? Mas ao meu ver a Rede TV é muito popularesca, com programas muito ruins e o Tal do Superpop em horário nobre concorrendo com muita coisa boa! Acho que eles vão ter que rever seus conceitos!!!!

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100