segunda-feira, 7 de outubro de 2013

A sociedade, a política e os políticos

Os políticos brasileiros, salvo as exceções, e elas não são maioria, se preocupam quase que o tempo todo em buscar o poder ou se manterem nele. Os próprios partidos políticos passaram a representar isso. A sucessão presidencial já está a todo vapor. As discussões a respeito da criação de mais um partido, as declarações dos que provavelmente serão candidatos ao cargo de chefe maior da nação, suas alianças e os discursos que fazem, é a maior prova disso. É lamentável, mas a figura do político de caráter deplorável e abominável fez da política a mais asquerosa e pérfida consciência cívica de um povo. Essa é a realidade. Contudo, política; atentem bem para isso, não deveria ser um assunto desagradável para nós, cidadãos. Ela é parte importante do destino de um povo. É justamente essa nossa aversão à política que ainda mantém no poder, políticos da pior espécie e pelos quais alimentamos grande desprezo. Infelizmente, eles conseguiram arrancar e destruir o espírito de civismo que deveria habitar na indignação dos descontentes e na revolta dos excluídos. É nesse errôneo modo de como pensamos política, é que contribuímos para a existência dos políticos inescrupulosos e usurpadores da esperança de um povo. Temos que mudar isso. Lembre-se; essa mudança terá que começar por nós e não por eles, os políticos. Não mudaremos a realidade do país sem que antes tenhamos mudado a nossa forma de pensar e agir na política. Não estou dizendo com isso que devemos acreditar nos políticos. Não é isso. Eles não merecem nenhum crédito por parte da sociedade; salvo as exceções, como sempre gosto de ressaltar. Embora, como disse no início, essas exceções não representem uma maioria, como gostaríamos que fosse. É como disse certa vez Martin Luther King: "O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas más, mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas". Por tanto, se ainda queremos e ansiamos por alguma mudança, ela terá que começar por nós, sociedade. Uma nova consciência política terá que surgir a partir de nós. Só assim será possível promover uma mudança na maneira de se fazer política nesse país. De uma nova consciência política surgirá políticos corretos e exemplares. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
7 Comentário(s)

7 comentários :

  1. O Brasil, Terra do Cruzeiro do Sul, nesse terceiro milênio, num futuro não tão distante, estará livre dessa corja de corruptos. Dias melhores virão, não duvido. Paulo César, querido amigo, boa noite. Paz e Amor!

    ResponderExcluir
  2. É comum as pessoas fugirem do assunto "política", mas você está certíssimo. Quanto mais nos inteirarmos desses desacertos, dessa corrupção, dessa falta de caráter, mais preparados estaremos para votar nas próximas eleições. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Paulo César!
    Perfeita é a sua exposição! Parabenizo-o, pois a cada silêncio que fazemos, a cada descrença no que vemos, damos espaço para cada vez mais a corrupção se alastrar em nossa vida. Interessante que pensava lendo seu post: não se vê manifestações de políticos em geral por melhores salários, pela valorização de suas classes partidárias, pela saúde e educação... Incrível, não é mesmo? Para eles, tudo de primeira classe, de primeira linha e grandeza... No entanto, para o povo que os mantêm com todas as suas mordomias... tudo é vetado... Temos que acordar sim para essa escravidão política que há muito se arrasta sobre nós!
    [ ] Célia.

    ResponderExcluir
  4. Um dia não gostava de Politica.......
    Quando passei a entender melhor fiquei
    triste por ver tantas coisas erradas nesse meio
    hj tento amenizar minhas ideias pra não sofrer um
    colapso ........Mas está ai e temos que conviver com ela...
    lutar para melhorar .....Enquanto isso....vamos esperando até
    não sei....

    Bjusss de boa tarde

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Pc! Em um comentário em meu blog esses dias eu li algo interessante... fazemos parte de uma sociedade onde o comodismo impera, é mais fácil deixar como está. Lembrou bem... essa é a hora de fazer pesquisas para as novas (e acertadas) escolhas. Depois não adianta quebrar tudo. Um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Gosto de política,não dos políticos.Gosto de manter informada de tudo que está acontecendo. Guardo nome dos abutres que prejudicam esse país,para que,quando eu votar.Não tenho partido político,voto por convicção,somente..

    Beijão,PC!Dani.

    ResponderExcluir
  7. Paulo César, querido amigo!
    Texto muito bem-escrito e dentro de um raciocínio inteligente e de comprometimento.
    Penso que os cidadãos têm que se engajar nas questões de sua comunidade, bairro: unir-se em torno de uma sociedade melhor, ainda que a de um determinado grupo. E isso, sim, é se politizar e exercer sua voz e vez.
    perfeito!
    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100