quarta-feira, 30 de abril de 2014

A dura realidade do brasileiro na figura do trabalhador

De todas as categorias de trabalhadores desse país, a classe operária talvez seja a que melhor sintetize a trajetória de lutas do trabalhador brasileiro por melhores condições de trabalho e da valorização dele. Mesmo reconhecendo que muitas conquistas vieram com essas lutas, devo considerar, a despeito de suas vitórias, que essa classe de trabalhadores ainda sofre bastante. O que vale dizer que não sofre apenas por viver com um salário apertado, mas também da forma desrespeitosa como é tratado por esse país. Nada muito diferente daquilo que ocorre com a maioria dos cidadãos brasileiros, com a exceção das elites ou daqueles que desfrutam de uma boa condição financeira, não sendo assim tão reféns da inércia do Estado Brasileiro. Não há dignidade e muito menos respeito para um trabalhador que precisa acordar todos os dias às quatro da manhã para pegar um transporte público obsoleto e abusivo se quiser chegar ao seu local de trabalho. Isso, coitado, quando consegue chegar, pois precisa torcer para que o transporte que utiliza não pare de funcionar em razão de uma greve, defeito ou qualquer outro tipo de situação inesperada. Eu poderia falar dos trabalhadores de uma forma mais ampla, sem me restringir a uma categoria de modo especial, mas preferi focar minhas observações nesse tema, apenas nessa, justamente para que minha visão crítica pudesse refletir uma realidade que não está restrita a um segmento de uma classe de trabalhadores somente, mas ao cidadão brasileiro em geral, independente desse pertencer a uma categoria de trabalhadores ou não. Esta é a minha opinião.
Comentário(s)
10 Comentário(s)

10 comentários :

  1. Olá, Paulo César! Há todo um discurso político em descrédito total pelos cidadãos que desempenham suas funções nas mais diversas categorias e passam pela mesma odisséia salarial, de transporte, de escravos da sua produção, dos horários, do tratamento aviltante de um RH totalmente desumanizado... e por ai vai... A elite empresarial pisoteia o chão de fábrica, essa é a verdade.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Célia. Um beijo no seu coração.

      Excluir
  2. Boa reflexão Paulo, e a classe proletária, a que realmente sustenta o nosso país e a que realmente trabalha duro, é a classe menos privilegiada, com baixos salários, péssimas condições de trabalho e nenhuma estabilidade no emprego, fora assédio moral, maus tratos, enfim, o trabalhador brasileiro, esse que pega ônibus lotado às 5 da matina, e retorna pra casa às 18 horas, tem que matar um leão por dia para tentar manter o seu emprego e tentar sobreviver num país de desigualdades gritantes.

    Grande abraço PC.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua análise através do comentário que faz é absolutamente perfeita. Um grande abraço, querido Paulo.

      Excluir
  3. Não há nada do que comemorar,infelizmente!A maioria são escravos disfarçados de assalariados.E ontem a mulher fez maior propaganda na TV de um país cor de rosa.

    Beijão,PC!Excelente escrito!
    Dani.

    ResponderExcluir
  4. Oi PC
    Como sempre um post lúcido e super bem escrito! Se os trabalhadores tem os direitos que tem é graças a Getúlio Vargas que instituiu a CLT, mas o povo de Brasília que não trabalha e ganha muito vive querendo na surdina tirar nossos direitos! Já aumentaram a idade para aposentar, e vão aumentando cada vez mais, daqui a pouco a pessoa só se aposenta para morrer!
    bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, minha querida Luciana. Um beijo no seu coração.

      Excluir
  5. Conhecemos o significado real de "direito". Infelizmente, existem na legislação e são escondidos pela dura realidade de quem os deseja exercer e são impedidos. E não é só no trabalho, mas nas condições para se chegar a ele, para se ter saúde para as atividades laborais, para receber um tratamento digno... e muito mais. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão Marilene. Um beijo no seu coração.

      Excluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100