quarta-feira, 30 de maio de 2012

Alagoas, a violência que vem da criminalidade

Hoje Alagoas é o estado mais violento do Brasil. Mais de 90% dessa onda de violência tem sua origem no tráfico de drogas. Pobres e ricos de igual modo são atingidos por ela, pois essa mesma violência chegou de vez até as áreas nobres da capital Maceió. Me colocando no lugar de cada cidadão alagoano nesse momento, fico imaginando sua aflição diante da indesejável presença dessa violência constante de todos os dias. Presidente Dilma, por favor, Maceió e toda Alagoas pedem socorro. A capital, exemplo cruel dessa assombrosa violência no estado, se estivesse incluída entre as doze sedes da Copa do Mundo, quem sabe poderia assim ter melhor sorte. Como sabemos essas cidades estão recebendo atenção especial do Governo Federal. Se mais ainda a sorte lhe sorrisse e fosse sede de algum grande evento, assim como é o Rio, sede dos jogos Olímpicos, muito provavelmente seria melhor tratada. Entretanto, ainda que com menor visibilidade e peso federativo, Alagoas, como qualquer unidade federativa desse país, merece ser olhada com especial atenção pelo Governo Federal, principalmente numa situação como essa. As atenções desse país não podem de forma alguma se aterem tão somente aos grandes eventos que aqui se realizarão. O Brasil não pode concentrar seus esforços e atenção unicamente em Copa do mundo e jogos olímpicos. Existem outras questões tão ou mais importantes que essas. Decerto que, se Alagoas estivesse localizada no Sudeste e recebesse os holofotes da mídia que São Paulo e Rio de Janeiro recebem, já teria feito fazer ecoar em Brasília todo clamor de sua gente por socorro e atenção. Me desculpem a forma ácida como me comporto nesse texto, mas antes de fazer parte de qualquer unidade da federação, eu sou antes de tudo, brasileiro. A presidente Dilma até aqui tem demonstrado enorme capacidade e habilidade política na condução desse país; o que me faz crer que, o Governo Federal dispensará ao Estado de Alagoas toda atenção que seu cidadão merece. Embora deva reconhecer que tal atitude já deveria ter sido tomada. Porém, diante da insustentável situação, creio que tal medida não demorará. Pelo menos assim quero crer. Como sabemos, a violência, principalmente aquela que é decorrente do tráfico de drogas, atinge o país inteiro; no entanto, em Alagoas ela parece ter saído do controle. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
5 Comentário(s)

5 comentários :

  1. Meu amigo,

    Tudo bem? O texto está perfeito! Moro em Alagoas em área nobre e percebemos que a falta de controle sobre a criminalidade impera por aqui. A droga virou água e hoje uma amiga minha de classe média alta com 25 anos, me falou que 90% dos seus amigos consomem algum tipo de droga. A droga é alimento do pobre e do rico e a violência agora é dona da cidade.

    Parabéns pela divulgação e atenção ao problema. Sou leitora assídua de sua coluna e é com grande satisfação que leio agora esse texto.
    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
  2. Oi, amigo Paulo César!
    Olha, a notícia é triste e lamentável. Primeiramente foi Pernambuco, depois Bahia e agora Alagoas foram tomadas pela violência, consequência de comercialização de droga. Um estado que há muito sofre com a pistolagem. Fico triste quando vejo uma situação dessa, pois bem sei que não há projeto nenhum de combate ao crime nos estados periféricos, tampouco um projeto nacional de repressão ao crime e reforma judiciária.
    Resta-nos apenas torcer, rezar e apelar para as autoridades tomarem pelo menos alguma providência.


    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Eu já tinha visto uma reportagem sobre Alagoas e toda essa violência e "as drogas, enfim... eu q moro no RJ sempre penso que "aqui é pior. Ah! nem sei mais.
    A moça que comentou "Luciana disse com conhecimento "a droga virou alimento não só dos pobres...É o que falo aqui, também, e de repente o Brasil inteiro estará assim, que m.
    Fico tão indignada com isso! Nem imaginas. Pedir a Deus?) só nos resta a Oração e a "Educação pode afastar essa praga; será?
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Apesar de suas inteligentes colocações, Paulo César, percebo que não há interesse em combater tal problema! Impossível que autoridades não tenham estratégias viáveis para solucionar. Ficamos teorizando apenas, mas na prática mesmo não se vê atitude plausível.
    Ver / Julgar / Agir é a metodologia mais conhecida e que sempre nos trouxe bons resultados.
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  5. Oxalá tenha razão e o estado tome uma atitude forte para resolver isso. Sabemos todos que a droga destroi não só o presente como o futuro. Não se compreende como a humanidade pode ser tão cega e burra. Por interesse destrói o Planeta e também por interesse de meia dúzia, milhares se autodestróem com a droga.
    Um abraço

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100