quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Eleitor, é preciso ficar atento e observar

Para ficar atento ao que publico, preciso fazer um certo sacrifício, como por exemplo, assistir a estreia da propaganda eleitoral. Como gosto de ter responsabilidade com aquilo que escrevo, me submeti à difícil tarefa de acompanhar alguns programas. Hoje, mesmo com a distância, a Internet e a própria televisão, nos possibilitam fazer uma viagem pelo Brasil e se informar sobre tudo. E foi assim que dei uma olhadinha na propaganda eleitoral de algumas cidades brasileiras. Óbvio que não foi possível assistir a todas, nem teria como. Mas vi o suficiente para compor o meu raciocínio. É impressionante como os discursos, salvo algumas exceções, são os mesmos. Não vou ser tão radical e dizer que não há programas com propostas bem elaboradas e uma apresentação qualificável ao público. Decerto há boas propostas apresentadas e a população precisa ficar atenta a elas. Contudo, boas propostas não é garantia que aquilo que está sendo apresentado pelo candidato, atente para isso, seja algo que efetivamente será colocado em prática, e mais; também não é determinante para afirmarmos que, quem as apresentam, isto é, os candidatos, sejam confiáveis. É nesse ponto que penso e entendo que, caberá ao eleitor, ser atento e observar, qual candidato apresenta uma proposta seria, coerente e condizente com sua biografia ou comprometimento com suas causas, e ainda; se o mesmo, ao longo de sua trajetória, mostrou ser capaz de merecer seu voto. Lembre-se que o nosso voto é uma espécie de procuração, que ao votarmos, passamos para o candidato que o recebeu, para que o mesmo nos represente como cidadãos, seja no Município, Estado ou União. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
3 Comentário(s)

3 comentários :

  1. oi Paulo,

    Não acompanho horário eleitoral, mas já procurei nos sites os planos dos pretendentes ao cargo maior do município. Procuro entender pelo menos as diferenças entre os candidatos, para não ficar só na arquibancada vaiando.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Mesmo tendo a consciência político-cidadã, sabendo da importância do meu voto, e o de todos nós, está difícil mesmo detectarmos quem é quem nesse mar de lama... De repente, vejo pessoas debutando na eleição e já pedindo voto em troca de "se eu for eleito (a)"... vou te dar isso e aquilo; emprego; nepotismo correndo solto e vistas ao salário... É decepcionante, pois se quem está entrando já tem tal conceito político de "levar vantagem"... como ficamos nós que infelizmente temos a "obrigação" do voto. Isso também deveria ser facultativo e o salário para eles de referência a um salário mínimo, sem mordomias... Ai sim, queria ver quem ficava pelo simples ato de exercer a cidadania!
    [ ] Célia.

    ResponderExcluir
  3. Paulo, querido amigo!
    Ótima pauta e argumento!
    Necessitamos conhecer os candidatos e suas propostas, seu histórico, isso é básico para podermos votar.
    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100