segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Brasil é referência na prevenção e tratamento da Aids

Tão questionado na saúde, o Brasil é considerado  referência na prevenção e no tratamento da Aids. Muitos podem receber essa informação com alguma estranheza. De fato é curioso. Um país com enorme descaso na saúde, ostentar essa posição referencial na prevenção e no tratamento da Aids, é admirável. Os continuados esforços de prevenção e tratamento do HIV conseguiram conter uma forte epidemia de Aids no Brasil. Nosso país é reconhecido internacionalmente por garantir o acesso universal e gratuito ao tratamento antirretroviral. É óbvio que possa existir algumas deficiências para serem corrigidas no enfrentamento desse problema, entretanto, muitos brasileiros se perguntam, porque a saúde num todo não consegue apresentar resultados semelhantes? Nossa medicina é altamente avançada, não fica devendo nada a nenhum outro país e tem grandes especialistas entre os maiores do mundo. Todavia, uma grande parcela da população não tem acesso ao grande aparato que a medicina oferece. Esse acesso restringe-se apenas ao sistema particular, cujo meio de acessá-lo é para poucos e não para muitos. A grande maioria é refém de um sistema público de saúde extremamente degradante e pernicioso. O bom resultado na prevenção e no tratamento da Aids, é exceção e não uma regra. No entanto, feitas essas ressalvas, é importante e louvável reconhecer o êxito conquistado no combate a Aids. Contudo, vale ressaltar, que mesmo com todo esforço empregado nesse enfrentamento, o número de infectados tem aumentado. Porém, esse fator decorre de uma falta de conscientização na sua prevenção. Muitos são os que não usam camisinha e acabam contraindo Aids, outros estão infectados e não sabem. A questão da Aids também enfrenta alguns tabus na questão religiosa e na própria igreja. O positivo, a meu ver, é reconhecer, que mesmo com muito a fazer, outras para serem corrigidas, o Brasil se apresenta como protagonista no enfrentamento desse problema.
Comentário(s)
5 Comentário(s)

5 comentários :

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Quando a AIDS foi descoberta, havia o chamado Grupo de Risco que se resumia em Gays, usuários de drogas injetáveis, Hemofílicos e etc...

    Hoje há o que chamamos de comportamento de risco: Transou sem proteção tá no grupo...

    Acredito que o número de casos tem aumentado em decorrência do viagra: homens mais antigos tomam a pílula azul e não se previnem...

    ResponderExcluir
  3. Olá Paulo César,

    Li e reli seu texto, com agrado.
    A Sida (AIDS) exite em 90% dos casos, por falta de informação e de consciencialização.
    Quanto maiores são as dificuldades económicas e sociais, maior é a apetência e apetite sexual desses povos.
    Parece contraditório, mas não é. É a dura realidade.

    Beijos de luz.

    ResponderExcluir
  4. Paulo César, até que enfim somos exemplo a ser seguido internacionalmente, pois, ultimamente, só estamos topo das desgraças como crime e corrupção.
    Realmente é um paradoxo porque nosso sistema de saúde está há muito na UTI.
    Também somos referência na cirurgia plástica e odontologia, mas isso é fora do SUS.

    Boa matéria, boa notícia!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. O Brasil e seus extremos que não entendo..Mas,parabéns!!É tão bom saber que quando realmente se quer fazer algo,acontece e,acontece de forma linda e competente.
    O Brasil pode mais sempre!Podemos ser exemplo em tudo se quisermos,basta só um pouco de boa vontade.
    Beijão,PC!Dani.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100