sábado, 10 de setembro de 2011

O sistema prisional brasileiro e sua realidade

A violência gerada pela criminalidade no país é um assunto sempre em voga e cada vez mais recorrente. Falar aqui dos fatores que concorrem para essa traumaticidade é desnecessário, afinal, tudo que resulta nessa questão é muito ampla, a meu ver, e tem vários aspectos. Vou especificamente falar de um, o sistema prisional brasileiro. Esse sim, é uma das pontas desse grande novelo, que ao invés de recuperar uma pessoa para reintegrá-la ao meio social, torna mais distante ainda essa possibilidade. Tal situação acontece na medida em que o Estado brasileiro não consegue em grande parte ou em quase nada, ressocializar, recuperar uma pessoa e transformá-la em cidadão. Nossas cadeias ou presídios, salvo as exceções, se é que elas existem, mas prefiro não generalizar, se tornaram verdadeiras faculdades do crime. O resultado desse fator sempre refletirá aqui fora. Será difícil combater a criminalidade, não se estruturando e dando condições para que detentos possam ter a oportunidade de recuperação moral, cívica e social de retornarem ao convívio da sociedade. A prisão não pode ser apenas punitiva, tem que ser educativa também. Eu sei que existem os considerados irrecuperáveis para a sociedade, mas para esses, o regime terá que ser diferenciado, com leis e tratamentos específicos. A realidade de momento me faz afirmar que o sistema prisional brasileiro não consegue ressocializar nossos presos. Na maioria das vezes saem de lá pior que quando entraram, tornando-se mais perigosos e pondo em constante risco o cidadão desse país. Existem muitas questões para serem resolvidas nesse complexo problema; falta de vagas nos presídios, o estado precário de muitos deles, a super lotação e tantos outros que poderiam ser citados aqui.
Foto: NE10
De fato, a situação é desanimadora. O bom resultado do combate a criminalidade terá que passar obrigatoriamente por uma readequação de nosso sistema prisional, do contrário, as soluções por hora apresentadas, serão apenas paliativas e não definitivas. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
11 Comentário(s)

11 comentários :

  1. Paulo César, foi divulgado exaustivamente que temos atualmente 500 mil presidiários e mais 500 mil mandados de prisão expedidos. Esse número é maior toda nossa força armada brasileira.
    Será que o Brasil não está preparado nem para receber seus prisioneiros? Não está. E o pior é que não têm consciência disso ou nem se preocupam com isso.
    Os que se encontram presos estão ensardinhados nos minúsculo presídios. Mas a "Presidenta" está dando um jeitinho: irá soltar aqueles que cometeram crimes menos graves, talvez seja para lhes dar chance de praticarem infrações mais graves.

    Tiririca está errado: do jeito que está, pior ficará.

    Bom artigo e como todos bem escrito!

    Abraços e bom fim de semana para você e família!

    ResponderExcluir
  2. Fala PC,
    Pois é, realmente é um sistema que deixa muito a desejar. O lugar onde poderiam recuperar pessoas para uma volta a sociedade, serve apenas como uma espécie de faculdade para o crime.
    Abraço e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  3. PC, o problema disso ai é muito mais complexo do que se imagina, as causas disso tudo ai se encontram na educação, nas leis defasadas, na falta de oportunidade de empregos e cursos disponíveis, numa polícia corrupta e despreparada, entre outros. Creio que o Brasil ainda conviverá por décadas com uma situação dessas, pois a solução não se encontra somente em construir novos presídios, mas em prevenir e combater eficazmente o crime.

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
  4. É um absurdo o sistema prisional no Brasil,não recupera ninguém;penso ser o contrário,aflora ainda mais a revolta do preso,esses,que precisam ser recuperados para a sociedade,não são.O sistema prisional além de ser uma forma de punitiva,também precisa ser um lugar de ressocialização do cidadão.Um lugar onde ele possa trabalhar,pagar de seu próprio bolso e não do nosso seus custos como detento,um lugar onde possa realmente rever,refletir sobre os valores da vida,da ética,cidadania,moral e até mesmo religiosos.Mas,infelizmente,o sistema prisional é apenas uma máquina que tortura,degrada e aliena aqueles que estão sob sua "responsabilidade".Uma vergonha nacional!
    Parabéns,amigo!O blog está excelente.
    Beijão!Um lindo sábado para ti.Dani.

    ResponderExcluir
  5. De fato, Paulo César, o sistema prisional brasileiro só piora o que já está ruim.
    As causas, como citastes, são muitas, e a saída para este dilema seria investir em educação e em geração de empregos, outros setores que se mostram deficitários em investimentos.
    Poder-se-ia cobrir o território brasileiro de ponta a ponta com prisões que o problema continuaria, se as causas da criminalidade não fossem mudadas.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. VALEU MESMO DE VERDADE!!! GND ABÇO...

    ResponderExcluir
  7. PC eu tenho um grande problema com o sistema prisional.
    Ou ele é muito paternalista, deixando os presos acomodados com muitos benefícios do governo que deveriam ir para as pessoas que não cometeram crimes. Ou é desumano, fazendo com que as pessoas fiquem desiludidas com a "justiça" do nosso país.
    É um assunto que pode ser discutido por horas.
    Grande abraço PC

    PS: Queria saber se você gostaria de participar do alternacast um dia. Se quiser entra em contato comigo vlw?
    Abç

    ResponderExcluir
  8. Olá Paulo César,

    A leitura dos seus textos é, quase, obrigatória.
    São tão actuais, tão pertinentes, que não podemos a eles ficar indiferentes.
    A questão dos presídios é "osso duro de roer", para os dirigentes políticos dos países.
    Claro, que há países, e devido a factores diversos, onde a situação é caótica.
    A pobreza, em todas as suas formas, é a principal causa desta calamidade.

    Beijos de luz.

    ResponderExcluir
  9. Olá PC!!!
    Tudo bom?

    Bom, eu sou mais radical com relação áesse assunto. Acho que para diminuir a violênciada criminalidade seria necessário apenas uma lei maissevera e para certoscasos, extremista. O povo só muda mediante ao medo, não á conscientização. Ser presidiário hoje em dia no país é muito vantajoso, de modoqueisso tem deser mudado.

    Ah eu fico feliz em saber que meus textos fazem você viajar e mergulhar nesse universo de animes. Realmente muitas obras de anime nos mostram mundos fictícios, reais e uma mescla dos dois. Qualquerdia se você quiser se aventurar em não apenas ler minhas resenhas e sim ver um desses animes ficarei contente em te indicar obras excelentes que tenho certeza que vc irá gostar!
    Um bom domingão pra ti!

    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá Paulo,
    Concordo com você. As prisões têm sido verdadeiras escolas para aqueles que lá estão. De nada adianta os presos cumprirem suas penas e saírem de lá mais gabaritados para prosseguirem em sua jornada de crimes.
    Creio que o ideal seria a construção de presídios em lugares isolados, onde houvesse escolas, oficinas, ensino religioso, onde os presos, sob disciplina rigorosa, tivessem que se manter ocupados 24 horas por dia. Somente assim eles poderiam mudar seus valores e, principalmente, não desejarem voltar para lá, abandonando o crime.
    Certo é que alguma solução há de ter, caso contrário o crime continuará assombrando a população do País.
    Ótimo domingo para você.

    ResponderExcluir
  11. O Brasil é um mundo...tanta desigualdade social e tanta diversidade, me deixam meio confuso. Obrigado pelas visitas de sempre caro amigo.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100