sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Presidente Dilma Rousseff, do jeito que está, não dá

Alguma coisa acontece no meu coração. Que me perdoe Caetano Veloso por apropriar-me da letra de um importante trecho de sua célebre homenagem a São Paulo,"Sampa". Ela consegue exprimir a exatidão do meu raciocínio. Mas não é de música que quero falar, antes fosse, muito menos de poesia, o que por sinal, revigora nossa alma. Sempre gostei de expressar uma frase despretensiosa antes de qualquer pergunta que possa gerar uma má interpretação. Àquela que deixo frisada antes de uma pergunta. A frase que me refiro diz assim, perguntar não ofende. Pois bem, depois de todo esse preâmbulo "didático", encorajo-me a repetir devotamente a frase que antecede minha indagação, perguntar não ofende, eis aí, a viciosa frase enfatizada por mim. Continuando, pergunto, Presidente Dilma Rousseff, restará algum Ministro que se salve ao final de seu governo?
Foto: O Globo
Sei que muitos devem estar se perguntando agora, PC fez todo esse rodeio só para fazer uma pergunta para a Presidente! Pois é, tem que ser com jeitinho, porque sem jeito, não vai ter jeito. Entenderam? É um jeitinho aqui, outro jeitinho ali e mais um jeitinho acolá e assim as coisas vão se ajeitando no jeitinho que se dá. Se não fosse a imprensa desnudando a realidade dos jeitinhos que sempre são dados, ainda teríamos os Ministros que foram denunciados por darem seus jeitinhos no governo. Até aqui, cinco Ministros já foram afastados durante os nove meses de governo da nossa Presidente. O último dessa extensa lista foi o Ministro do Turismo, Pedro Novais. Anteriormente foram afastados os Ministros, da Casa Civil, Antonio Palocci, dos Transportes, Alfredo Nascimento, da Defesa, Nelson Jobim, e da Agricultura, Wagner Rossi. Desses nomes, apenas Nelson Jobim, saiu sem envolvimento com denúncias. Não tenho nenhuma crítica voraz contra a Presidente Dilma e seu governo, pelo contrário, torço muito por ela. Porém, reconheço, que se ela não der um soco na mesa e colocar as coisas no seu devido lugar, sem jeitinho, não haverá jeito que dê jeito no sujeito. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
8 Comentário(s)

8 comentários :

  1. Ta complicado espero que ela de um JEITO, se nao ja na frente nem jeito e nem jeitinho vai dar certo. Grande Abraço.

    ResponderExcluir
  2. O poder realmente danifica o sujeito em todos os sentidos.O dinheiro fácil..É difícil não se corromper.Até aquele que tenta se esquivar do "esquema" acaba também se perdendo no caminho da corrupção.No Brasil,político ser idealista,honesto é uma piada.Não quero generalizar,pois há algumas ressalvas,mas acabam sendo massacradas tal qual tomates por rolo compressor.
    É a certeza da impunidade que agrava ainda mais a corrupção na política brasileira.
    Beijão,PC!Uma linda sexta para ti.Dani.

    ResponderExcluir
  3. Eu não senti firmeza nesse governo da Dilma. Acho que ela está só fazendo sombra para o Lula voltar em outra ocasião. Essa confusão co os ministros é prova disso.
    Grande abraço PC

    ResponderExcluir
  4. Olá Paulo César,

    A História se repete. Há sempre amigos dos amiguinhos.

    Beijos de luz.
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  5. Paulo, o grande erro da Dilma foi não começar um governo com uma renovação total no quadro. Velhas caras, figurinhas já carimbadas continuaram mamando na teta do Governo. Essas quedas que estão acontecendo com os ministros, se a presidente fosse à fundo, não restaria um sequer.

    Como sempre digo, o Brasil tem um potencial invejável, tem recursos naturais, mas o que impede ainda de sermos um país próspero é os maus políticos, a corrupção que está entranhado no nosso DNA, se não fosse isso, já estaríamos num patamar de primeiro mundo há muito tempo.

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
  6. Enquanto o povo não der o devido valor ao voto,tirando do poder essa corja de sanguessugas, Paulo Cesar, o Brasil não terá jeito mesmo.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. O problema também é a chamada "governabilidade", em que os governos precisam de uma base de partidos para que tenham apoio suficiente no CãoGresso ou Assembleia para votarem seus projetos.

    E são tantos partidos que compõem a "base do governo" que é difícil governar assim - cadê a tal "governabilidade"? Sai um cara do PMDB e entra outro do PMDB atendendo exclusivamente a critérios partidários.

    Tem jeito ( a longo prazo) e ao mesmo tempo não tem ( a curto prazo). É complicado diante de um sistema assim.

    Abs

    ResponderExcluir
  8. Paulo César,amigo não sou petista e nem de qualquer outro partido. Um dia até acreditei, mas com o passar do tempo cansei.Por tanto eu não ajudo ninguem a governar.Do geito que vai tem muitos que ainda não foram descobertos.E se fizer a limpeza o ministério vai ficar vazio,rsrsrs. Eu concordo com o comentário do Jacques,em poucas palavras elê falou tudo.
    Obrigado por tua visita no meu cantinho.
    Bjos.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100