quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Maria Verônica, a falsa grávida, você condena ou absolve?

Maria Verônica Vieira, de 25 anos, educadora de Taubaté- SP, como é do conhecimento de todos, se tornou famosa, de maneira negativa é bem verdade, após anunciar uma falsa gravidez de quadrigêmeos. A pergunta que muitos devem se fazer é a seguinte: o que passa por uma mente para fantasiar algo tão absurdo e inconsequente? Imaginemos o grandioso constrangimento de seus familiares e de seu marido. Cléber Eduardo, marido de Maria Verônica, que é metalúrgico já devolveu o dinheiro que havia ganhado dos seus colegas de trabalho, segundo teria dito seu advogado. O casal ainda terá que passar pelo constrangimento de devolver os presentes ganhos. Outro constrangimento, o casal é esperado esta semana para prestar depoimento na polícia. Verônica está tomando remédios psiquiátricos e a sua presença na delegacia ainda é incerta. Não vou condenar a Maria Verônica aqui, definitivamente não farei isso, embora seu ato seja totalmente condenável. Muitos poderão não concordar comigo e eu respeitarei suas posições contrárias, como sempre fiz aqui.
Essa mulher para mim é tão vítima, como vitima também é seu marido e familiares. Nosso estado mental é capaz de produzir os efeitos mais extraordinários que se pode supor. Como também é capaz de maquinar atos criminosos, perniciosos ou fantasiosos, como nesse caso. Ela não simulou uma gravidez, visando algum benefício próprio. Não creio nisso. Sua atitude fez dela própria, vítima de si mesma. Por tanto, condeno seu ato, mas absolvo o ser humano. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
12 Comentário(s)

12 comentários :

  1. Oi Paulo

    considerando que o desmentido seria uma questão de tempo e ela sabia disto, considerando que mesmo sabendo o que iria passar e fazer com que os seus passassem e ainda assim não evitou tal situação, o surto psicótico ou sei lá que nome tem essa patologia fica evidente, a doença dela não a protegeu de si mesma, os sadios espertalhões se protegem para aplicar golpes, ela não fez isso, creio ter sido inevitável dentro de suas condições psicológicas, talvez uma fantasia para obter atenções, o fato de ser inventada um gravidez de quádruplos e não uma comum, evidencia o desejo de atenções.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá, amigo Paulo César!
    Realmente não podemos condenar nem absolver essa mulher porque não conhecemos os motivos nem as razões deste reprovável ato.
    Acredito que em plena lucidez, ela deveria nos dar exemplo de bom proceder por se tratar de uma educadora.
    Estou certo de que a mais prejudicada da história foi ela própria e já está pagando por seu erro.

    Amigo, sua opinião tem uma lucidez e imparcialidade raras.
    Texto impecável!

    Abraços do amigo!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Noutro dia eu vi um documentário no Discovery Channel a respeito de uma doença raríssima, que faz os olhos sangrarem, sem motivo aparente.

    Apresentaram dois casos, o de um menino norteamericano, para o qual não acharam a causa, nem a cura, apenas paleativos para espassar os sangramentos e a de uma mulher indiana, que após muitos exames, ficou comprovado que ela tinha uma problema estomacal, de fácil resolução com cirurgia e que provocava os sangramentos nos olhos para chamar a atenção do marido.

    Enfim, contei tudo isso para dizer que eu penso que esta mulher brasileira em questão, assim como várias outras pessoas no mundo (ela não está sozinha), sofre de "carência crônica". Precisa de paparicos, atenção, gente voltada para ela 24h por dia. Enfim, tem doença mental e/ou neurológica, sim.

    O estranho é o marido da grávida nem desconfiar da mentira... rssss Será que nunca tocou na barriga? Nunca quis sentir os filhos? Quer coisa melhor do que tocar em barriga com bebê dentro????

    Bom, mas estranhezas à parte, conheci em certa feita uma grávida de gêmeas onde as gurias eram enormes (nasceram com quase 4 kg cada uma), ou seja, creio que as duas juntas poderiam corresponder aos quatro que a mulher, supostamente, levava na barriga... e nem de perto a barriga dela parecia este fusca da Maria Verônica. Coitada, até nisso ela errou a mão para chamar a atenção de alguém... rsssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pennnsa bem amiga, gente voltada para ela 24hs... me poupe ne, nessa crise em que muita gente que prescisa trabalhar vive, voce acha que o besta do marido ia ter tempo para PAPARICOS 24hs... ...claro que aparenta que ele sabia de tudo, mas muito troxa, fizeram juntos esta palhacada, pra nos outros troxas ficarem perdendo tempo com tanta IDIOTICE, e o pior que ficamos curiosos para ver o final de tanta BURRICE, um abraco colega...

      Excluir
  5. Como mãe, educadora e mulher abomino tal atitude. Se a pessoa em questão está com problemas psicológicos, pergunto: - e os que convivem com ela? Oras, gestação é partilhada com familiares e amigos! Estariam todos "psicóticos"? Não a julgo, apenas não aprovo essa e tantas outras situações descabidas que diariamente vemos em nossa mídia. Qualquer mulher percebe que é uma barriga imponderável! Enfim... foi mais um besteirol engrossando fileiras noticiosas. Cultura, meu povo! Cultura, por favor!
    Célia.

    ResponderExcluir
  6. Essa opinião é uma leitura muito inteligente e humana de uma verdade tão acusadora e pouco compreensiva em que se tem visto por aí!
    Adorei seu ponto de vista que é bem diferente ao do senso-comum a que – daí sim – somos sempre vítimas e instrumento de (pré)conceituação dos outros.
    Adorei!

    ResponderExcluir
  7. PC, quando fiquei grávida meu marido sempre quis tocar minha barriga, sentir o Gustavo mexer e ficávamos hoooras deitados olhando aquele barrigão que eu tive... Nos últimos meses então, era uma coisa encantadora... sem contar que ele participou de todo o processo de consultas e exames... por isso me pergunto o mesmo que a Bel e a Célia. Quando fiquei sabendo dessa moça, ela já havia sido desmascarada, então nem sei como foi esse processo todo de "aparecimento na mídia"... diga-se de passagem, sabemos que a emissora que a apresentou, fez isso apenas por ser algo "perto do bizarro" e sensacionalista.
    Sei lá... Procuro não tomar conclusões precipitadas, mas me admira muito que a família não tivesse tomado consciencia da situação. No mínimo, estranho!

    bjuuu...zinhos! JoicySorciere => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
  8. Oi Paulo Cesar, boa noite!

    Que coisas esse caso dessa mulher, o ser humano está vestido de uma armadura que a gente não os reconhece mais.
    Eu acredito que até a psicologia está difícil de entender esses distúrbios mentais do ser humano. Fico imaginando como pode uma cabeçinha bolar uma mentira desse tamanho, e não imaginar as conseqüências grave que isso vai gerar, quando a verdade vier à tona.Fico imaginando se o marido, e a familia não percebia que algo estava errado.Hoje parece que virou moda, qualquer crime que acontece, o acusado sempre é apontado como ter problema psicológico. Por vezes fica difícil entender certos comportamentos, principalmente de uma educadora. Ganhar popularidade? Carências?Loucuras?
    Não sou eu que vou julga-la
    cabe a ciência explicar esse comportamento, se explicar!
    Beijos grande!

    ResponderExcluir
  9. Eu estou querendo saber é que ela ia roubar quatro bebês......

    ResponderExcluir
  10. Caso ela tenha agido com a conivência do marido,ou seja, criado uma farsa quase "perfeita", eu a condeno. Me parece que foi um plano usando a "boa fé" das pessoas. Não me parece um "caso psiquiátrico",em que a mulher imagina uma gravidez. Tudo estava bem planejado, apenas não deu certo...foi descoberta "em tempo".

    Não conheço bem os "meandros" do fato...estou julgando pelo que vi na TV.

    Um abraço,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde, eu como juíza, absorveria.Pelo fato de estar acontecendo no mundo coisas mto piores e que não são repercutidas desse jeito. Como um colega acima falou, não sabemos a razão dela ter tramado esta farsa,vai que ela é estéril e tem sonho de ter filhos, ou sei lá.. O psicológico do ser humano faz coisas inacreditáveis.
    Bjão Profª Gabriela.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100