segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Ah, se a reforma política fosse a reforma na política!

No dia 21 de março poderemos ter no Senado a votação da tão aguardada reforma politica. Quado digo que, poderemos, é que na política tudo pode mudar, isso, é claro, se for do interesse dos nossos digníssimos.
Foto: EXAME.com
À vista disso; as propostas a serem discutidas e votadas serão, o financiamento público de campanha, a exigência de referendo para alteração no sistema eleitoral do País e da mudança na data de posse de presidente da República, governadores e prefeitos. De modo igual pode ser incluída nesta lista a proposição que altera regras para coligações partidárias, caso a matéria não receba emendas durante às sessões de discussão. No meu entender, muitas outras questões, tão importantes como essas que serão votadas, poderiam entrar nessa pauta. Entretanto, não dá para esperar que os políticos votem a favor daquilo que vai contra seus interesses; essa é a verdade. Contudo, questões como o financiamento público de campanha e a exigência de referendo para alteração no sistema eleitoral do País, são importantes temas e com relevada importância para a sociedade. A propósito desse assunto de reforma politica, e por favor não confundam com reforma na política, uma questão precisaria de no mínimo ser analisada nesse país; quando é que conseguiremos nos libertar da obrigatoriedade do voto? Aqui pra nós; esse é um tema do qual nossos políticos devem ter imenso pavor em tratar. Um país que paute sua liberdade sobre os alicerces da democracia, comete uma incongruência quando obriga o seu cidadão a votar. Essa é a minha opinião.
Contato: detudoumpoucominhaopiniao@yahoo.com.br
Comentário(s)
5 Comentário(s)

5 comentários :

  1. VIVAS!!! Há muito tempo desde meus 18 aninhos... que longe ficaram... eu grito por tal liberdade... e vou mais longe... quem quisesse se candidatar que o fizesse por vocação política e, JAMAIS como meio de vida... Será muita utopia de minha parte? SIM... e morrerei sem ver tal acontecimento... Ainda somos "burros atrelados ao voto"... INFELIZMENTE!!! Se pensarmos que não temos verbas adicionais para alimentação, moradia, vestimentas, viagens, saúde e tantos outros quesitos, que eles, políticos têm... eis evidenciada nossa submissão... E, na minha imagem mental de cuecas e meias depositárias de altas cifras... ai então, me sucumbo à cegueira incurável diante do processo que ora impera!
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  2. Politicos votarem leis que lhes dimninuem regalias? Não acredito. Politicos de vocação com grande interesse pela humanidade foram poucos ao longo da história, e ou acabaram presos ou assassinados.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
  3. Oi paulo,

    só acreditaria nessas reformas se fossem votadas pelo povo, entre eles tudo continuará a favor deles, infelizmente.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  4. Olá, grande amigo Paulo!
    Já não era sem tempo essa reforma. Espero que não nasça ultrapassada, como o Código Civil.
    A sociedade anseia e necessita de uma mudança séria e eficaz na organização político-administrativa porque do jeito que está não dar mais para suportar.
    Como você bem disse: se é uma democracia, então por que voto obrigatório, alistamento militar obrigatório, horário político obrigatório e etc.? Desconfio que esse "demo" não é o povo em grego, mas o diabo em português. Assim, "democracia" aqui, no Brasil, ipsis litteris, é o "diabo no poder", porém somos nós que o colocamos no poder.

    Ótima matéria, amigo!

    Abraços do amigo!

    ResponderExcluir
  5. Quando a matéria envolve interesses pessoais, ficamos, automaticamente, apreensivos. Sei que os colocamos lá, mas é difícil até escolher um candidato.
    Sou contra a obrigatoriedade do voto. Ela ajuda a inescrupulosos e aproveitadores. Bjs.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100