sábado, 17 de março de 2012

Professores lutam por aquilo que já tem direito

Pobre educação brasileira! Para que se cumpra a lei que determina o piso salarial mínimo da categoria, que é do valor de R$ 1.451 e também do investimento de 10% do PIB (Produto Interno Bruto) na educação, os nossos professores decidiram realizar um movimento nacional, para tentar fazer valer um direito já adquirido por eles, mas que não é cumprido. Os nossos políticos, no alto de suas atribuições legais, covardemente se omitiram e ainda se omitem, a uma decisão em favor da sofrida e valorosa classe de professores de nosso país. Decisão, essa, que já deveria ter ocorrido; pois como sabemos, a lei que determina esse piso salarial mínimo, já existe. Tudo que os professores pedem é, que se cumpra a lei.
Foto:R7.com
Será que é pedir muito? É profundamente triste e lamentável, que no mesmo momento que nos orgulhamos da honrosa posição de destaque de nosso país no mundo, também nos envergonhamos com o trato que o mesmo dá para sua educação e seus mestres, os professores. Uma vergonha que contrasta com a posição privilegiada que o país ocupa no cenário internacional, merecida por sinal, mas que não condiz com a realidade de um país que prima e zela por sua gente. E nesse contexto, a educação é um dos sustentáculos de uma nação desenvolvida ou que busca por esse desenvolvimento. Essa é a minha opinião.
Contato: detudoumpoucominhaopiniao@yahoo.com.br
Comentário(s)
11 Comentário(s)

11 comentários :

  1. Como gostei deste seu texto, Paulo querido!

    Deveríamos todos juntos gritarmos em defesa dos professores, da única mola mestra que tem o poder de impulsionar uma nação e que parecem querer enferrujar a todo custo. O descaso com a educação é só mais uma das vergonhas nacionais.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Amigo PCzão! Assino em baixo dessa postagem. Concordo com tudo e acho uma vergonha esse descaso com os professores!

    Um abraço meu amigo!

    ResponderExcluir
  3. Paulo César! Seu post mexe com minha integridade pessoal e profissional. Sempre foi assim. Perdi a esperança de mudanças favoráveis aos profissionais da educação. Aqueles "Senhores" que hoje legislam e delegam e executam leis, com certeza esqueceram-se que passaram por escolas, nas quais o elemento primordial é o "humano-professor". É ele que eleva ou sucumbe o nome de uma escola, de um país. Mas, ignoram tudo isso e usam da caneta apenas para os próprios salários e mordomias. Desde a década de 60 vários foram os protestos em plena Praça da República - ditadura brava! Soltavam cavalos sobre nós, mesmo entoando o hino! Não somos bandidos, marginais, ladrões... Apenas construtores de um país. Ah! Mas pouco se importam, aliás preferem e sustentam a ignorância, pois só assim poderão manobrar "suas marionetes". Chega de pão e circo. De bolsas disso e daquilo. Queremos atitude cidadã; e essa é só através da EDUCAÇÃO - a do berço e a cultura da escola.
    Abraço,
    Profª Célia Rangel.

    ResponderExcluir
  4. amigo paulo,
    sou suspeito, sim, mas pergunto-me que sociedade que almeja a prosperidade (e não falo apenas no padrão económico) pode dispensar-se a acarinhar, valorizar e estimular a classe dos professores? o dinheiro sem o bom senso, a capacidade reflexiva e crítica é como bolo sem açúcar.
    aí como aqui: alguns dos cortes mais violentos deste governo centram-se justamente na área da educação e na classe dos professores. o país pode esperar...

    abraço!

    ResponderExcluir
  5. Salve os professores!
    Nós que trabalhamos por amor*, "por vocação", porque se depender do que ganhamos ...putz!
    E agora? O nosso discurso é ignorado, não temos voz"¨¨ se protestamos, deixamos os brasileirinhos sem aula e..."será que ler não faz andar pra frente?
    Eles, pobres coitados, esses "poderosos que nos envergonham tanto não têm ideais, não têm vergonha na cara! Debocham dos trabalhadores e festejam como se estivesse blindados" ...não receiam, porque não têm consciência;

    Vontade de gritar...* pela minha classe e pelas crianças.
    Somos necessários à vida e ao progresso do País!
    Um beijo da amiga Mery*

    ResponderExcluir
  6. Grande verdade, Paulo.
    Inadmissível a omissão dos governantes em relação a esta classe tão sofrida. Também já fui professora. Este drama é antigo. Muitos desertam da profissão por se sentirem injustiçados e desmotivados.Os professores procuram fazer a sua parte e jazem jus a um salário condigno. Eles apenas reclamam pelo que lhes é devido. Sem a educação um País jamais será totalmente livre.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Um país que trata os professores desta forma é um país maldito, como pode um babaca como um Tiririca da vida se eleger e ganhar quase 50 mil reais, enquanto esses heróis anônimos que se desgastam por toda uma vida, com amor, dedicação, zelo, para forjar cidadãos de caráter e conhecimento vivem à míngua com uma miséria de salário que não chega nem a 2 mil reais. Um país maldito é esse!!!

    ResponderExcluir
  8. Brigar para que uma legislação seja cumprida é um despropósito. Mais sofrimento para a classe, mais movimentos, mais insatisfação. Já estive entre eles e conheço bem essa frustração. O professor dedica todo o seu tempo no execício profissional, não apenas aquele em que está na escola. É cobrado e, muitas vezes, ofendido/agredido. E não tem qualquer recompensa por isso, mesmo se sabendo que nenhum povo "cresce" sem a educação.

    ResponderExcluir
  9. Esqueci de me despedir (rss). Um lindo domingo para você. Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Olá paulo,
    bem o que aqui diz é de todo verdade, isto acontece, e não acontece só no Brasil, acredite!
    Que haja justiça um dia.
    Estou a seguir-te, esperando sua visita,
    Pensando com Arte.

    ResponderExcluir
  11. Elês fazem com todos os direitos,hoje ser professor é ser alvo da violência que vem acontcendo nas escolas.Sou de outro tempo, em que os professores tinham motivos de ensinar os seus alunos.
    Hoje vivem num salário de miséria,sem o menor respeito e ainda são obrigados a educar filhos que não são seus.Sendo que escola é lugar para aprender,se alfabetizar.
    Elê estão mais do que certos,cada um tem correr atrás do seu prejuizo.
    Maravilha de post PC.
    Bjos.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100