sábado, 28 de abril de 2012

A cruel estatística da violência contra jornalistas no país

Aproximadamente 70% dos assassinatos de jornalistas registrados no Brasil nos últimos vinte anos ficaram impunes, segundo levantamento da organização americana CPJ, (Comitê para a Proteção dos Jornalistas). O caso mais recente ocorreu no dia 23/04 em São Luís, a capital do Maranhão. Na citada data, o repórter de política e blogueiro Décio Sá, acabou sendo morto em um restaurante com seis tiros. O repórter e blogueiro trabalhava no jornal O Estado do Maranhão.
Graças à imprensa, muita coisa de errada e obscura nesse país tem sido denunciada. O Brasil foi classificado pelo comitê para a Proteção dos Jornalistas em 11º lugar entre os países onde há mais impunidade contra profissionais da imprensa. Foram contabilizados pelo CPJ entre 1992 e 2012 no Brasil, 20 assassinatos de jornalistas. Detalhe, esses números não estão atualizados, pois ainda não foram incluídos nesse estudo a recente morte de Décio Sá e os assassinatos do radialista Laécio de Souza, da rádio Sucesso FM, de Camaçari, na Bahia, ocorrida em janeiro, e do repórter do Jornal da Praça e do site Mercosulnews Paulo Roberto Cardoso Rodrigues, em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, em fevereiro. A maior parte das vítimas, segundo a pesquisa do CPJ, é de jornalistas que denunciaram casos de corrupção. Em seguida aparecem os repórteres policiais e em terceiro, aqueles que escrevem sobre temas políticos. No passado tentavam calar a imprensa pela covarde ditadura que violentou nosso país durante anos, agora, a ditadura vem na forma mais vil, brutal e covarde que se pode imaginar, o atentado contra a vida.
Contato: detudoumpoucominhaopiniao@yahoo.com.br
Comentário(s)
3 Comentário(s)

3 comentários :

  1. Paulo, meu caro amigo!

    Excelente teu post!
    Creio que é uma pauta oportuna, pois, para nós que trabalhamos com jornalismo, sabemos o quanto exige um sacrifício, e para aqueles que especificamente trabalham com o jornalismo investigativo, por exemplo, se torna ainda mais complicado e muitas vezes, fatal.

    Não sei se você soube da morte, ontem, de um jornalista, o Paulão,(de 51 anos), e um cinegrafista de 27 anos, aqui da Bandeirantes-RS. Esse jornalista, o Paulão era uma figura muito popular aqui, e trabalhava em fatos policiais, desafiava bandidos, etc..., mas curiosamente, faleceu de um acidente de carro. O carro deles e mais dois carros, todos da Bandeirantes, foram colhidos por um caminhão desgovernado. Uma pena, lamentável isso.

    Grande beijo e ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Paulo César! Acompanho indignada a falta de caráter (ou sei lá de que...) desses desumanos que tiram a vida de outros por questões "filosóficas" ou, "burras" mesmo. O fato é que se interrompem vidas em plena função ativa de seus ofícios, em todas as classes trabalhistas. Se não à queima roupa, em acidentes nas estradas, na irresponsabilidade de atos que se transformam em tragédias familiares. LIBERDADE DE EXPRESSÃO? Fica na teoria, não acha (?), pois o blogueiro Décio Sá pagou com sua vida "suas expressões". Revoltante!
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    PC,como vai?
    Li este post indgnada,pois é,a violência,provida de covardia por axar que a liberdade de expressão deve manter-se presa,estão levando profissionais ao chão,cruelmente.Bem enfatizaste a respeito da ditadura,parece que ela não teve fim não é mesmo?.
    Triste,muito triste essas notícias.
    Amigo PC,tenhas uma semana gloriosa.
    Bjos.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100