quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Onda de violência que atinge SP também atinge SC

Como se não bastasse a enorme onda de violência que assola São Paulo, Santa Catarina vive situação semelhante. A brutalidade e a violência impostas pelo crime no Brasil é uma realidade que não é de hoje. Ainda assim, mesmo com toda incompetência do poder público em gerir uma política de segurança que pudesse enfrentar essa realidade com a dedicação que ela exige, o crime nunca conseguiu se estabelecer com a tirania que, por exemplo, ocorreu no México. Agora, porém, os criminosos resolveram desafiar o estado democrático de direito. E assim o fazem quando atacam o cidadão e as forças que zelam pela ordem e pela segurança da população. Forças essas constituídas por policiais civis e militares. O terror que a violência dos criminosos vem impondo a São Paulo é algo que apavora a todos nós. A ideia de imaginar a possibilidade dessa prática de crime se disseminar pelo país, também assusta. Agora, pergunto eu; a mesma onda de violência que atinge São Paulo, atingir Santa Catarina, é só uma coincidência? Não estariam essas organizações criminosas, chamadas aqui de facções, se unindo país afora para se fortalecerem nas suas atividades? No Rio de Janeiro, com a política de segurança do estado, muitas facções criminosas foram ou estão sendo desestruturadas, e outras, até, desarticuladas. Não seria esse também mais um motivo para o crime se organizar de maneira nacional, temendo enfrentarem o duro golpe que os criminosos cariocas sofreram? Não sei. Será que teriam inteligência suficiente e organização para isso? Sinceramente; não creio. É lógico que ainda são perguntas dentro do campo das especulações. Entretanto, a situação que já era terrível em São Paulo, atingindo agora Santa Catarina, nos leva a fazer especulações de toda forma. Eu, como qualquer cidadão desse país, assisto a tudo isso com grande preocupação e temor. Afinal, o que estamos vendo acontecer não é normal. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
3 Comentário(s)

3 comentários :

  1. Oi Paulo,

    Tudo bem? Penso que seja possível em qualquer lugar do país, pois tudo é feito por meio de celulares e internet. Estamos esperando a qualquer momento novos tumultos.

    Bom feriado.

    ResponderExcluir
  2. Paulo César, querido amigo!
    Ainda estou em off no blog, e ficarei por mais um tempo..., mas seguirei lendo teu blog e me informando, pois é de fato, um dos meus preferidos.
    Beijos e ótimo feriado!

    ResponderExcluir
  3. Paulo César!
    Sentimo-nos "impotentes" assistindo reportagens como se fora "trailler" de filmes... E, pensar que de repente, na porta de nossas casas poderemos ser surpreendidos. No meu pensar, há muita morosidade em ações efetivas para tamanha "guerra" que se instalou na sociedade. Estamos vivendo o "salve-se quem puder?"
    Bj. Célia.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100