sexta-feira, 22 de março de 2013

A televisão brasileira deveria ser mais regionalizada

A programação das grandes redes de televisão do país não atende de maneira satisfatória a população local. É o que penso. Principalmente para os que moram fora do eixo-Rio-São Paulo. É por isso que defendo a ideia de uma maior regionalização de seu conteúdo. Grande parte da programação dessas redes é transmitida a partir de São Paulo ou Rio de Janeiro. Uma rede de televisão deve ter 30% de conteúdo local. É o que dizem. Na prática, entretanto, isso não acontece. Entre outros benefícios à população, isso garantiria a preservação da cultura regional. Na realidade, embora dificilmente acontecerá algum dia, 50% da programação de uma rede de televisão deveria ser local. É claro que é importante levar em consideração o fato de muitas delas serem pequenas emissoras, afiliadas das grandes redes e com dificuldades para arcarem com o aumento de uma produção de conteúdo local. Esse é um argumento valido e coerente. Mas a tese de uma maior regionalização das produções locais é tão valida e coerente quanto. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
7 Comentário(s)

7 comentários :

  1. Paulo,

    Tudo bem? Não sou muito fã de TV regionalizada porque percebo cada vez mais com a ascensão econômica e educacional da população, o gosto por filmes e seriados. Talvez uma programa que apresentasse talvez shows, teatro. Todavia, não percebo viabilidade econômica.

    Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  2. Penso que a regionalização diminuiria os horizontes. O que a TV não pode deixar de lado é mostrar e apresentar programas voltados para todos os tipos de realidade. Ela visa lucros e essa possibilidade não atrairia os patrocinadores. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. É bom termos uma visão globalizada. O que poderia ser acrescentado seria certos horários com programação regionalizada, como tem em algumas, apesar de muito pouco. Horários alternativos de escolha da programação que informasse e transmitisse um conteúdo de ensino-aprendizagem eficiente. Mas, isso tudo é SONHO... Quem sabe, um dia?
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Paulo! Interessante levantar esse tema...me levou a pensar que em geral os conteúdos regionalizados passam em horários de pouco destaque. Estranho isso...talvez culpa dos patrocinadores, que não investem na ideia. Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. PCzão meu amigo... O seu modo de pensar é correto, mas é muito dificil de ser realizado!

    ResponderExcluir
  6. Tem razão amigo. Mas as regiões não dão dinheiro e infelizmente o mundo está dominado por ele.
    Um abraço e uma boa e santa Páscoa

    ResponderExcluir
  7. Penso que essa regionalização não é um objetivo das emissoras,não é rentável.
    Quando eu vou para o interior do Rio de Janeiro,percebo que há uma regionalização da TV e,estranho bastante.Sabe aquela sensação de estar isolada das informações em nível mais abrangente?Sei lá,pode ser ignorância e até mesmo preconceito..A mesma coisa não acontece no rádio,eu gosto dele mais regionalizado do que globalizado.

    Beijão,PC!Dani.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100