sexta-feira, 12 de julho de 2013

O dever do Estado brasileiro é o direito do cidadão

O crescimento econômico que os governantes propagam tanto, agora um pouco menos em razão do panorama atual, parece ser aquele tipo de moldura que não consegue combinar com o ambiente onde se localiza. Não estou duvidando desse crescimento. Não há como negar o óbvio. Nossa economia, apesar das dificuldades que conhecemos atualmente, cresceu consideravelmente nos últimos tempos. E pode crescer mais; acredito. Mas o povo não se beneficiou disso. Pelo menos da maneira como deveria. Enquanto a população de um modo geral, sobretudo as mais carentes, não usufruírem desse crescimento, o país não conseguirá avançar mais do que avançou até aqui. Todo crescimento econômico de uma nação deve ser transformado em riquezas destinadas ao seu povo e essas riquezas devem ser refletidas em investimentos na educação, saúde, segurança, trabalho e, por fim, qualidade de vida satisfatória para todos. Isso não é pedir muito. Pelo contrário, é um dever do Estado brasileiro e um direito do cidadão. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
8 Comentário(s)

8 comentários :

  1. Uma opinião muito coerente meu amigo! Você sempre tem opiniões muito sensatas! Sou seu fã!

    Passa lá no blog que tem um sorteio de um livro que participo!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Paulo César!
    As pessoas que ocupam cargos eletivos por nós a elas consignadas, com raríssimas exceções pensam assim... É o velho 'venha a mim... o vosso reino que se...' Felizmente, os brasileiros conscientizaram-se de seus direitos.
    [ ] Célia.

    ResponderExcluir
  3. Caro PC, o Brasil sempre será um país de paradoxos, onde haverá um abismo entre as classes pobres, miseráveis e essas elites políticas e burguesas, e enquanto o povo não souber votar exigir os seus direitos, a classe política se beneficiará com isso.

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
  4. Eu penso que o dever de qualquer estado em qualquer parte do mundo é esse.
    Um abraço e Santo Domingo

    ResponderExcluir
  5. Oi Paulo,

    Tudo bem? Entendo que só o crescimento de renda e emprego não gera desenvolvimento. Penso que as políticas atuais foram de curto prazo e se o Brasil deseja ser mais que um BRIC, a lição de casa pede urgência, ou seja, mais educação, saúde,infraestrutura, etc.

    Boa semana!

    ResponderExcluir
  6. Paulo César, querido amigo!
    Excelente texto e muito oportuno.
    A economia está bem, principalmente, se fizermos um paralelo com países da Europa, por exemplo, em alguns aspectos. A questão é a má gestão disso tudo, e má distribuição, que é um problema crônico do Brasil, não desmérito do governo atual.
    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir
  7. Tenho receio desse aclamado estar bem, economicamente. O resultado prático não nos é visível. Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Que texto sensato!
    O Brasil pensa tanto em proteger sua economia,que acaba se esquecendo de proteger seu povo.Politicagem barata pra fazer presença ao FMI..Um governo que não enaltece seu povo,não vale de nada.É um traidor.

    Beijão,PC!Dani.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100