domingo, 21 de outubro de 2018

Folha "bombástica" foi exagero

Essa coisa de pensar que a imprensa tem que ser imparcial no que diz respeito ao tratamento político-eleitoral não passa de uma utopia. Não só no Brasil, mas em outros países também. Parte da imprensa sempre escolhe de que lado ficar, ou quando não, o que lhe é mais conveniente. Há setores da imprensa que são mais conservadores, outros tendem mais para a esquerda, uma outra parte tem uma linha editorial de direita, e por aí vai. Por tanto, a imprensa tem um lado, uma preferência política. Alguém deve perguntar, mas a emprensa não tem que ser imparcial? Sim, a imprensa tem que ser imparcial, mas em relação aos fatos. Ao noticiar um fato, um orgão de imprensa não pode elevar uma notícia além do grau de importância que ela já tem, isso foge totalmente daquilo que se entende como sendo bom jornalismo. A 'Veja' não honrou isso quando quis tratar como escândalo a reportagem a respeito de um processo de separação de Jair Bolsonaro. Aquilo ficou muito feio para a 'Veja'. Agora, eis que surge o conceituado Jornal Folha de S.Paulo com uma notícia mancheteada  em sua capa como "bombástica". A chamada de capa da Folha para a referida notícia apareceu com o seguinte título: "Empresários bancam campanha contra o PT pelo WhatsApp". Ora, nada contra a notícia que a Folha publica sobre isso, mas na forma como ela é tratada pelo jornal. Há um sensacionalismo que é claramente visto em determinados trechos da reportagem, o que desvaloriza uma notícia que no seu teor já tem por si só uma importante relevância. Fez-se desnecessário, por tanto, o exagero que o jornal cometeu; e sabe-se lá com que intuito. Fica a desconfiança no ar. Feito minha ressalva, digo, é preciso chamar às falas o poder da justiça eleitoral para investigar se há algum vínculo das tais mensagens com a campanha de Bolsonaro, como a Folha relata. De fato, prova não existe, mas que se investigue. Uma notícia tratada como denúncia de caixa 2, inclusive, tem que trazer ao menos algum indício, revelar nomes de possíveis envolvidos. Assim como na reportagem da 'Veja', a Folha parece que preferiu sensacionalizar um fato ao invés de tratá-lo como notícia. Talvez por isso, os principais telejornais noturnos deram pouco destaque à "bombástica" manchete da Folha sobre as supostas mensagens patrocinadas por empresários apoiadores de Bolsonaro, que segundo a denûncia do jornal, tinha como objetivo, atacar Haddad ou o PT. Tinha ficado feio para a 'Veja', agora para a Folha de S.Paulo também. Quem é que ganha com isso? Certamente não é o cidadão e muito menos o bom jornalismo. É a minha opinião.
Comentário(s)
1 Comentário(s)

Um comentário :

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100