sexta-feira, 29 de abril de 2011

Há mais de uma década que violência contra mulher não registra queda

Nesta quinta-feira (28/04/) em Brasília dados tristes do mapa da violência contra mulher foram divulgados e constataram uma triste realidade, a violência contra mulher contínua sem registrar queda. O número engloba estatísticas dos 27 estados brasileiros. O número de assassinatos de mulheres está estacionado no mesmo patamar há mais de uma década, de acordo com esse levantamento, infelizmente. O estado do Espirito Santo se manteve como o estado que concentrou o maior número de mortes, registrando mais do que o dobro de homicídios, 10,9 por cem mil, em 2008, na comparação com a média nacional. Já no Rio de Janeiro os assassinatos de mulheres caíram 43,3%, entre 1998 e 2008. Os números também revelam que, a violência doméstica é a principal causa dos incidentes fatais, de acordo com o coordenador do Mapa da Violência, Julio Jacobo Waiselfisz. O coordenador do estudo disse ainda que, "O Brasil ainda tem uma cultura de violência contra a mulher. Os dados indicam que grande parte dos crimes são passionais e ocorrem dentro de casa. A impressão que os dados passam é que a violência doméstica é a principal causa dos assassinatos de mulheres." De maneira lamentável esses números só retratam uma realidade que está todo dia e a toda hora, desnuda diante dos nossos olhos.
Comentário(s)
1 Comentário(s)

Um comentário :

  1. Infelizmente a violência contra a mulher é uma constante na sociedade brasileira.Essa cultura machista ainda é muito forte nos países latinos.Essa lei Maria da Penha,ao meu ver é "jogar pra galera".O agressor não é punido de forma exemplar,o máximo que acontece é pagar umas cestas básicas,depois o meliante está pronto para cometer a covardia de novo.A mulher agredida se vê sem saída,totalmente desamparada,não adianta fazer queixa.Por muitas das vezes é ironizada no próprio ambiente de denúncia,onde deveria ser acolhida e respeitada.Os altos índices de violência seguidos de homícídios,estão aí para comprovar como as "autoridades"são totalmente omissas e insensíveis a questão da violência contra a mulher.As ações tomadas até aqui são irrisórias,não surtem efeitos,pelo contrário,só estimulam mais ações covardes desse tipo,pois o agressor tem certeza da impunidade.
    Uma pena!
    Bjs,PC.Uma semana linda para ti.Dani.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100