terça-feira, 8 de novembro de 2011

bicicleta, o grande meio de locomoção do futuro

Com o caos do trânsito urbano, que cada vez mais se espalha pelas cidades brasileiras, inclusive em cidades do interior, fica uma sugestão: por que não investir pesadamente em ciclovias? Vejo nas bicicletas, um dos mais alternativos meios de transportes do futuro. Assim já é em várias cidades do mundo. Países como Holanda e Colômbia é um belo exemplo dessa alternativa. Esses dois Países conseguiram revolucionar o sistema de transportes a partir das bicicletas. Em grande parte da Europa Central, as pessoas tornaram-se mais conscientes de que este veículo de duas rodas é alternativa muito interessante ao transporte público ou como seu complemento, por ser rápido, prático, saudável e não poluente. As ciclovias existentes no Brasil ainda não atendem em grande escala, uma demanda considerável para que se aceite as bicicletas como um meio de locomoção, com toda estrutura necessária para seu uso. Com o caótico transito que se tem hoje e sem perspectiva de grandes mudanças, a bicicleta é uma realidade futura que precisa ser melhor pensada pelos governos, além de ser um fator importante de preservação da saúde através de exercício físico, com uma vantagem adicional: ela não polui. Eu ousaria dizer, que a bicicleta é o grande meio de locomoção do futuro. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
10 Comentário(s)

10 comentários :

  1. Concordo plenamente com você e ando todos os dias de bike, é uma pena que onde eu moro, não tem ciclovia, pois aqui o transito d bike é imenso, e sempre há acidentes, por incrivel que pareça,eu amo pedalar, beijos e bom dia

    ResponderExcluir
  2. Paulo César, sou aficionado por bicicleta.
    Deixo o carro na garagem e faço meus deslocamentos de até cinco quilômetros de bicicleta.
    Quando não ando, sinto falta do exercício.
    Mas é um risco grande pelo fato de não haver também aqui ciclovia ou ciclofaixa. Aqui, em Manaus, não há cultura de ciclismo, por isso há até perseguição por parte dos condutores nas disputa por espaço nas ruas. No interior, o uso de bike é mais exacerbado.

    Muito boa matéria, ótima opinião!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Bem, a cidade onde moro é elitista ao máximo! Enforcados em financiamentos desfilam seus carrões importados, sem nenhuma ou pouca consciência da própria saúde, assim como a do planeta! Por morar na região central, meu deslocamento, em geral é fazendo minhas caminhadas! Muito saudáveis também! A conscientização da sustentabilidade do planeta, ao meu ver está em marcha lenta!
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  4. Aqui em Pelotas não temos ciclovias e é um pouco complicado andar de bicicleta, mas dá-se um jeito.
    O caminho para a conscientização obrigatoriamente tem de passar pela doutrinação materialista a que somos submetidos desde a infância, é por isso que essa iniciativa tem bem menos adeptos do que poderia.
    Mas a escassez de recursos naturais é uma realidade e meios de transporte como esse se fazem cada vez mais necessários.
    Abraço, Paulo Cesar.

    ResponderExcluir
  5. Bom como não sei se 1 minuto depois de montar uma, não estaria já no chão com ela em cima, prefiro andar a pé mesmo.
    Falando sério. A cidade onde vivo tem já duas ciclovias enormes. Quase não tem é ninguém andando nelas.
    Mas eu também acho que seria muito melhor para o ambiente. E também para a carteira do cidadão.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Primeiro, os locais adequados para elas. Depois, a conscientização. Pode ser que, assim, consigamos.
    É difícil mudar hábitos há muito arraigados, mas se a juventude passar a desejar uma bicicleta, no lugar de um carro, chegaremos lá.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Olá, querido.
    Eu li o post, acho muito bom, mas penso não ser viável aqui no Rio de Janeiro...
    Embora existam aqueles que usam a bicicleta apenas por esporte;
    Pedalar faz bem*.)
    Essa é a minha opinião.
    Beijus da Mery*

    ResponderExcluir
  8. Grande PC, disso eu posso falar com propriedade, sou ciclista há anos, sempre corri à noite com um grupo grande, depois deixei e pedalo só agora, vou ao trabalho na maioria das vezes de bike, tenho todos os equipamentos de proteção, minha magrela é bem equipada, gastei pacas com ela, e é maravilhoso mesmo, sempre meu cartão de passagens acumula pq sempre estou utilizando a bicicleta, mas se por um lado é bom, por outro ainda precisamos de respeito por parte dos motoristas, principalmente dos motoristas de caminhão e ônibus, já me deram cada fino que quase me arrastam junto, não respeitam mesmo os ciclistas. Ótimo post, gostei mesmo.

    Abração.

    ResponderExcluir
  9. Seria o ideal, Paulo.
    Investir neste tipo de transporte somente traria benefícios para todos, tanto para o meio ambiente quanto para os ciclistas. É claro que o sucesso de tal modalidade de transporte dependeria de outros fatores, mas já ajudaria bastante se uma boa parte da população fosse adepta.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  10. Em Recife existe ainda poucos trechos de ciclovia, mas neste ano deu início um projeto para mudar isso nos principais pontos da cidade apesar que muitos já se aventuram desbravando de bicicleta, principalmente no suburbio.

    Quem conhece Recife sabe o quanto do trânsito daqui é péssimo, até de madrugada encontramos engarrafamento, a bicicleta é sempre bem vinda pq realmente ajudaria nesse processo.

    Grande abraço

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100