sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Dessa vez em Manaus, escola é cenário de violência

Episódios lamentáveis de violência têm cada vez mais se repetido dentro das nossas escolas. A tragédia ocorrida na Escola municipal Tasso da Silveira, em Realengo, Zona Oeste do Rio de Janeiro deveria nos ter servido de exemplo. Infelizmente, quase seis meses depois da tragédia de Realengo, outro ato de violência tendo uma escola como cenário aconteceria no país, em São Caetano do Sul no ABC Paulista, lembram? Um aluno de 10 anos atiraria numa professora e depois se mataria dentro da Escola Municipal Alcina Dantas Feijão. Ontem, (quinta-feira-15/12) novamente cenas de violência teve uma escola como cenário.
Foto: Acrítica de Manaus
O fato aconteceu na Escola Estadual Presidente Castelo Branco, no bairro São Jorge, Zona Oeste de Manaus. Testemunhas relataram, que após uma partida de futebol de salão, valido pelo torneio que a escola está sediando, o aluno Wendel Batista, de 18 anos, teria entrado em discussão com outros dois alunos, ambos com 17 anos. Essa discussão teria seguido de agressão física. Em meio a confusão, um dos adolescentes teria caído e batido com a cabeça no chão. Wendel, percebendo que os dois adolescentes tentavam fugir da escola, teria sacado uma arma de sua bolsa e em seguida efetuado alguns disparos contra os dois. Um dos adolescentes foi atingido de raspão na perna. Os dois foram levados para o (SPA), Serviço de Pronto Atendimento do bairro São Raimundo na capital amazonense. Dessa vez, felizmente não houve morte e os dois se encontram fora de perigo. Mas poderia ter sido pior. A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) através de sua assessoria de comunicação informou que o caso está registrado na delegacia e os pais dos três estudantes envolvidos no fato serão chamados até a escola para conversar sobre o ocorrido.
Comentário(s)
6 Comentário(s)

6 comentários :

  1. Mais sabe o que é isso Paulo? É falta de limites de pai e mãe!! As coisas estão andando pra trás, hoje as chocadeiras colocam filhos no mundo para os outros criarem e mais tarde a RUA da rrumo na vida e acaba ficando assim, quando decidimos ter filhos, temos que ter a consciência de que é uma responsabilidade enorme de educar, dar valores morais, amor, carinho e tudo mais para transformar aquela crinaça em um adulto responsavel, falta hoje é amor e a presença dos pais. Eu irei falar sobre a lei a palmada em breve no meu Blog e vou soltar o verbo e no mesmo tema irei falar do tipo de mãe chocadeira, que faz filho e joga no mundo. Um abraço!!

    ResponderExcluir
  2. É PC,tá tudo errado.Essa violência nas escolas,essa proliferação de videos no youtube exibindo violência,gerando violência,ensinando violência,tá demais!Por isso que eu disse no blog,tô de saco cheio de tanta informação e a maioria delas ruins.
    Mas vim aqui te agradecer,de verdade,de coração,por todo o apoio nas Historias de Emília.
    Vc é um amigo e tanto.
    Bom fds,bjca

    ResponderExcluir
  3. Paulo Cesas, a violência está banalizada! Hoje, é normal gritar com o outro pra se impor e se isso não for o suficiente, então dê uns catiripapos para mostrar quem manda. É mais ou menos por aí... sou professora e percebo que o problema está desde as crianças.

    Seria simplista de minha parte, atribuir a culpa SOMENTE à família. Sabemos que a base do problema não é somente aí. Mas, com certeza a falta de refenrência familiar é a grande causadora... Estava falando com um amigo blogueiro, que um dos grandes problemas do ser humano é a falta de inteligência emocional(que assim como todas as demais habilidades, precisa ser estimulada). Ensinar valores humanos, é imprescindível, mas se eu não souber como lidar com minhas emoções, de nada adiantará tentar "impor" esses valores.

    Bjão JoicySorciere - Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
  4. Oi, Paulo César!
    Isso ocorreu próximo do bairro onde moro, cerca de seis quilômetros, inclusive, neste colégio Castelo Branco, prestei vestibular e concursos. É conhecido pelo tamanho.
    Ao invés dos jovens copiarem o bom exemplo, fazem o contrário.
    O problema é que a lei protege demais os adolescentes, o que o levam a serem cooptados pelo crime na certeza da impunidade.
    Amigo, aqui a droga rola solta e livre. Em quase toda esquina, há um "boca de fumo", onde a polícia vai pegar propina ou, simplesmente a ignora.
    De repente, policiais cercam a casa do vizinho e o leva preso: era um traficante procurado. O Governo resolve tudo no discurso desde sua posse. As ocorrências em colégio são cada dia mais comum.

    Cara, está atento até com as notícias daqui do Norte. És deveras um exímio profissional.
    Sua matéria é bem lúcida, objetiva e inteligível.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Meio sumida mas sempre lendo seus posts.
    Passei pra desejar boas festas e um Natal e Ano Novo abençoados.
    Gd. abraço

    ResponderExcluir
  6. Oi PC!

    Sabe, eu fico admirada por você nos informar acerca de noticias que ás vezes não chega até nós, paulistanos.
    Legal vc ter curtido as cospalyers da Branca de Neve! Pretendo fazer sessão de todas as princesas!
    bjs

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100