sábado, 6 de outubro de 2012

SP e RJ não lideram mais os rankings da violência

A revista Época acaba de publicar um levantamento interessante sobre a migração da violência. Não só interessante, mas revelador também, sobretudo quando revela que a violência de São Paulo e Rio de Janeiro, historicamente as capitais da insegurança, migrou para cidades menores do país. As duas capitais não lideram mais os rankings de homicídios ou delitos como estupro e latrocínio. A publicação ressalta ainda que, entre 2000 e 2010, a taxa de assassinatos caiu pela metade na região em que estão situadas as duas principais cidades brasileiras (região sudeste). Enquanto isso, no nordeste, a prática desse tipo de crime cresceu 70%, e no norte dobrou. Essa migração da violência no país ocorre de duas formas, segundo esse levantamento; primeiro: ela migra das capitais para o interior dos estados. Na segunda forma, e aí, nesse caso, entram São Paulo e Rio de Janeiro, essa migração é das grandes megalópoles para capitais consideradas mais pacatas. Querem um exemplo disso? São Luiz, no Maranhão, era em 2000 a 24ª em incidência de assassinatos. Esse índice subiu em 2010, levando a capital do Maranhão ao quinto lugar desse triste ranking. Nesse mesmo período, Salvador, a capital dos baianos, passou da 25ª posição para a sétima no ranking da violência. Um especialista, segundo destaca a revista, explicou que, isso ocorre em razão da desconcentração industrial, que acabou provocando também a desconcentração da violência no país. Segundo esse mesmo especialista, o movimento migratório rumo ao sudeste se inverteu, e a bandidagem acompanhou. O combate intenso contra a criminalidade, fato que vem ocorrendo em São Paulo e, principalmente no Rio de Janeiro, também contribui com esse fenômeno migratório da violência. Não sou um especialista nesse tipo de assunto, mas, entendo que, entre outros fatores que contribuem para que isso esteja ocorrendo, inclusive os citados pelo especialista na revista, somam-se outras situações também. É como dizem; “o buraco é mais embaixo". Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
1 Comentário(s)

Um comentário :

  1. Olá, Paulo César! Intrigante tal índice e localização da violência em nosso país. Difícil é aceitar. Seja onde for, não é justo que se enxotem de um lado para o outro os problemas não resolvidos. Isso tornou-se um hábito em nosso país. Vergonha nacional!
    [ ] Célia.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100