quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Discursos evasivos e muita teatralização

Não é um fato novo o que ocorre hoje com o Maranhão. Me causou irritação e revolta ver que o governo se empenhou ao máximo no firme propósito de passar para todos nós a falsa ideia de que a situação estava sob controle. Na verdade, tanto as autoridades do governo estadual quanto federal deveriam admitir logo no início dos atos de violência, a existência do enorme problema que precisaria ser enfrentado. Como destaquei no início desse texto, a situação crítica vivida pelo Maranhão agora, não é um fato novo. E não é mesmo. São Paulo já sofreu por mais de uma vez com esse aterrorizante fato. o caso mais recente ocorreu em 2012. Naquele ano uma onda de ataques criminosos vitimou policiais e a população em geral. Em seguida, no mesmo ano também, foi a vez de Santa Catarina passar pelo mesmo terror e drama. Nesse caso do Maranhão, mas também como em São Paulo e Santa Catarina, o que mais se podia ver por parte dos governantes se resumia apenas a seus discursos evasivos e muita teatralização. A mesma encenação patética de sempre em situações como essa. Nada além disso. Digna de nosso repúdio. Infelizmente é assim que boa parte dos governantes deste país agem quando estão diante de acontecimentos como o que estamos vendo no Maranhão. O tempo todo, eles querem mostrar que estão comovidos com os dramas de nossa gente. Contudo, o olhar compungido deles já não nos engana mais. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
3 Comentário(s)

3 comentários :

  1. Paulo César querido amigo!
    Muito pertinente a tua pauta. Pois, sim, um verdadeiro absurdo esse fato e sua teatralização, como bem te referiste... Governos e (des)governos, mandos e desmandos... interesses..., o que se esconde e o que se pode mostrar: manipulação descarada em tempos de internet.

    Paulo César, que apesar desses fatos e tantos outros e suas mazelas, que nos sobre esperança para 2014.
    Um ano excelente para você e sua família!

    ResponderExcluir
  2. Querido amigo, nunca tive paciência de ouvir político falando, pois, como você disse, só nos apresentam "discursos evasivos". Mentem descaradamente, não tem Deus no coração e, consequentemente, não sabem o que é ter consciência. São dignos de pena. Como diz, Boris Casoy: "È uma vergonha".
    Paulo Cesar, grande abraço e ótimo ano!

    ResponderExcluir
  3. Paulo César, a questão em pauta da barbárie no Maranhão é também uma questão política, porém não somente. A violência e crueldade está , prova disso são os vídeos gravados no presidio, na própria sociedade por motivos diversos. O governo mas não só ele deve lutar por um pais que tenha liberdade para falar abertamente sobre tudo sem que a violência impere... física, ideologica, social e politica.

    Parabéns pelo blog, é minha primeira visita!

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100