terça-feira, 19 de julho de 2011

Migração em queda no Brasil diz IBGE

Já se foi o tempo em que a região sudeste era o sonho de todo brasileiro em busca de oportunidades e outras realizações, pelo menos é oque aponta o levantamento feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). No passado, cidades como São Paulo, principalmente e Rio de Janeiro eram os destinos dos brasileiros que buscavam melhores condições de vida e o seu espaço no mercado de trabalho. Eram, porque essa realidade vem mudando, ano após ano. Os números mostram a diminuição da migração interna, a permanência da população no seu local de origem e o retorno de moradores a seus Estados. Diferente das décadas de 60 e 80 onde o destino por busca de oportunidades era a região Sudeste, oque agora parece ser diferente. Na realidade atual ocorre o deslocamento de pessoas entre municípios de um mesmo Estado e a queda nas migrações entre regiões. Segundo levantamento do IBGE, a década passada apresentou mudanças nas correntes migratórias. Rio de Janeiro e São Paulo deixam de ser "importadores" e passam a "exportadores" de moradores. Para o IBGE oque vem contribuindo para essa nova realidade é a saturação dessas metrópoles e a melhor distribuição da oferta de emprego. Os números mostram que as pessoas que resolveram ir para outros lugares, ou retornarem para os seus locais de origem, buscam por trabalho, qualidade de vida e menos violência. Na realidade atual com a mudança no cenário econômico do país, o Nordeste por exemplo passou a segurar população e atrair o retorno de sua gente. Na mudança de perfil dos Estados, Rio de Janeiro e São Paulo viveram uma inversão no saldo de migrantes. A realidade é que, especialmente essas duas metrópoles, estão saturadas. Elas cresceram desorganizadamente, por conta de um processo econômico desigual ao longo de décadas. Tiveram que absorver boa parte do mercado de trabalho que se abria nesse país e o resultado foi o aumento da favelização com crescimento desordenado e sem planejamento urbano. Eu sempre defendi a ideia que o Brasil não poderia crescer somente para Paulistas e Cariocas, é preciso um desenvolvimento por igual e justo. Tomara que essa realidade esteja mesmo mudando. Será benéfico para essas duas cidades, principalmente, que poderão traçar um novo planejamento urbano, e bom para outros estados e cidades que crescerão no ponto de vista de suas economias e atenderão os anseios de sua gente.
Comentário(s)
6 Comentário(s)

6 comentários :

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Ótima notícia!Hoje em dia,é uma grande utopia esse sonho de ganhar a vida em grandes metrópoles,uma ingenuidade.Até para os próprios cidadãos locais ou,aqueles que tem uma certa qualificação profissional,está dificílimo.As grandes metrópoles estão muito inchadas,já chegou ao seu limite de suporte,como se diz em biologia.Saturou há anos.E o resultado é essa desigualdade social vergonhosa e persistente.Pessoas vivendo de um subemprego(ou,nem isso).Mas,todo esse cenário se configura por falta de uma política séria voltada para o cidadão,para seu benfazejo,promovendo a cidadania no sentido literal da palavra para que este,possa ter oportunidades de se qualificar e,consequentemente conseguir seu trabalho,conseguir sustentar a si e família.Mas,infelizmente,muitos se deixam levar(até mesmo pelo desespero da falta de oportunidade em sua terra),pelas falsas ilusões que as grandes metrópoles provocam.Que esses progressos continuem em todo território nacional.
    Beijão,PC.Dani.

    ResponderExcluir
  3. Hj nós vemos polos como Pernambuco crescendo acentuadamente por conta disso, a política aqui é trazer de volta os pernambucanos para dar oportunidades sem sair do estado e uma realidade disso é o Porto de Suape e seu complexo industrial ou o Porto Digital, um dos principais polos tecnologicos da America Latina, que entre outras tarefas desempenha a função de desenvolvimento tecnologico não só do estado, mas do Brasil.

    Grande Abraço

    ResponderExcluir
  4. Paulo, moro em Pernambuco e vejo nitidamente o crescimento desse estado. E com o aumento da riqueza nacional e distribuido de forma heterogênea, os grandes polos como Rio e São Paulo já não fascinam tanto como antigamente, hoje pessoas simples podem estudar e fazerem cursos técnicos e se empregarem com salário bons. Mas ainda está longe do Brasil se tornar uma potência, ainda há muita corrupção na política.

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
  5. Oi Paulo!

    Otimo tópico! Muitas pessoas veem para SP 9minha amada terra) achando que ganharão a vida mas não é bem assim..há casos em que eles conseguem ganhar o emprego que deveria ser dos paulistanos.
    Uma vez em uma entrevista de emprego, a mulher escolhida pela gerente foi a única que vinha do mesmo estado que ela!
    Nossa eu não sabia que vc acompanhava produções japonesas...em questão de filmes japonês eu nunca me interessei muito mas animes são minha paixão.
    Temos uma afinidade em comum, o interesse pela cultura cinematográfica japonesa ^^
    bjs
    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Paulo, tudo bem?
    Parabéns por esta matéria!
    Ótima notícia. As pessoas estão percebendo que podem fazerem suas vidas em terras próprias, sem o sonho das luzes da cidade, que estão se tornando mais reais com o retorno de outros que vieram antes.
    Grande abraço!

    Humoremconto
    http://anaceciliaromeu.blogspot.com

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100