sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Curitiba, drogas são responsáveis por 77% dos homicídios na capital paranaense

Em Curitiba, um levantamento feito pelo serviço de inteligência da Delegacia de Homicídios (DH), revela um dado terrivelmente preocupante e que tem as drogas como fator principal de uma triste estatística. A maioria dos assassinatos em Curitiba está diretamente associada à venda ou consumo de entorpecentes. Nessa triste e terrível estatística, a maioria das vítimas são os Usuários. Na capital paranaense, Três de cada quatro assassinatos que são registrados, têm relação direta com as drogas. Esse levantamento do serviço de inteligência da Delegacia de Homicídios tem como base os boletins de ocorrência. No primeiro semestre deste ano, 357 pessoas foram assassinadas na capital paranaense. Desse total, 274 pessoas tinham envolvimento com entorpecentes, ou seja, como usuário ou traficante. Aqui estamos apresentando um levantamento feito em Curitiba, mais que não deve fugir muito da realidade do restante do país. A devastação e a degradação do ser humano oprimido pelas drogas é uma realidade que precisa ser enfrentada por governo e sociedade. O mais triste de tudo isso é ter que constatar que o país não tem uma política voltada para cuidar dessa realidade assombrosa, que destrói o viciado e acaba com famílias inteiras. A questão das drogas é ampla e engloba vários segmentos da sociedade, que juntos precisam, na pior das hipóteses, conter a grande epidemia do mundo atual, a meu ver, os doentes vitimados pelas drogas. Sim, doentes! Os viciados antes de mais nada, são doentes, e como doentes precisam ser tratados. Essa é a minha opinião. Esses números estatísticos de Curitiba talvez retratem bem essa dura, triste e cruel realidade.
Comentário(s)
6 Comentário(s)

6 comentários :

  1. Esses dados são mesmo preocupantes
    Aqui no Rio tmb não estamos longe disso
    Já temos algumas iniciativas para tratar viciados mas nada pode ser feito em definitivo
    É um problema q deveria ter a maxima atenção do governo
    Abç PC

    ResponderExcluir
  2. Bem onde isso vai parar!!! Pode ser que as pessoas tomem também alguma iniciativa para combater esse drama. O governo devia fazer qualquer coisa, né?

    Abração

    ResponderExcluir
  3. Alarmante seu texto amigo! Existe aqui na minha cidade um mendigo (morador de rua), que há alguns anos era um próspero e rico comerciante, proprietário de uma confecção e uma loja de artigos para surf, era também um excelente surfista, indo todos os anos surfar no Havaí. Hoje vive assim, jogado, sujo, passando todo tipo de necessidade, ficou perturbado, não fala coisa com coisa. Tentou matar a mãe e a avó.Tudo isso por causa da droga. Histórias como esta vemos ao milhares, é um drama vivido por muitas famílias e que não encontram apoio nenhum dos nossos governantes.
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Paulo, meu amigo, tudo bem?
    Situação lamentável e parece fora de controle.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Esse é um terrível drama e nem precisamos vivê-lo de perto para conhecê-lo bem. A droga é tão "eficaz" na destruição do indivíduo que nem os próprios traficantes permitem que seus filhos entrem nesse mundo. Uma ironia!!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Essa alta porcentagem,só vem ratificar o quanto a droga é algo devastador na sociedade.Esse cenário está se tornando cada vez mais crítico.Quem não conhece um dependente químico ou quem está em tratamento?Estamos vivendo tempos difíceis,onde podemos a qualquer momento sermos vítimas de pessoas sob o efeito das drogas.Esse perigo se torna cada vez mais iminente.Infelizmente,não temos políticas sociais sérias e competentes para pelo menos atenuar essa dor que assola os lares,não só da família brasileira,mas,de todo mundo.
    Beijão,PC!Um lindo sábado.Dani.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100