segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Da omissão do poder público, nasceu a criminalidade

O tráfico de drogas no Brasil se constituiu em ações de grupos armados, estabelecidos em áreas carentes das nossas cidades, que ao longo do tempo foram abandonadas pela omissão do poder público.
Foto: R7
Para se organizarem e se manterem em suas ações, corrompem os maus policiais, políticos e negociam armamentos pesados através do contrabando de armas e outros meios. É das drogas que obtém seus lucros. Seus clientes são usuários dos mais diferentes tipos de drogas existentes. São homens e mulheres de todas as idades e profissões, de todas as classes sociais. Os traficantes constituíram ao longo de décadas, um poder paralelo, com seus exércitos e suas próprias leis. Os governantes nunca deram o tratamento adequado a essa questão e o resultado é o que se ver, cidades divididas. Lembro, quando em 2006, o PCC, facção criminosa que atua em São Paulo, organizou um ataque simultâneo em todo Estado. Foi uma megaoperação criminosa, atacando policiais em serviço e de folga e ainda com ações de rebeliões ao mesmo tempo, em todo Estado. No Rio de Janeiro, vários foram os episódios ao longo de décadas, onde o crime sempre desafiou as autoridades, numa verdadeira demostração de força. Até um helicóptero foi abatido pelos criminosos em uma das muitas intervenções policiais, que por sinal, nunca deram em nada. Não sei, se o modelo de segurança pública que se aplica no Rio de Janeiro atualmente, a partir da criação das UPPs possa ser um modelo a ser aplicado no país. Sinceramente, não sei. Só o tempo dirá. No entanto, essa é para mim, até aqui, a maior política de segurança pública já vista no país. Pelo menos nos faz ter esperança. Torço muito para que não seja só para gringo ver, principalmente na Copa do Mundo e Olimpíada. Todavia, é confortante dizer, que ainda resta esperança.
Comentário(s)
7 Comentário(s)

7 comentários :

  1. Olá, Paulo! Realmente... "é confortante pensarmos que ainda resta esperança"... ainda que frágil, mas há. Agora, quais as atitudes do poder público para levar dignidade a tantos que se veem marginalizados e, apenas acolhidos pelo bandidismo, pelas drogas, pela corrupção e marginalidade? Também, como você e demais brasileiros, espero não ser só maquiagem em dia de festa! Arrumar a casa para receber visita! Oras, constrangedor, no mínimo...
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  2. Oi Paulo, tudo bem meu querido? Lendo seu texto fiquei a pensar, não sei se tenho tanta esperança assim nessas mudanças. Essas criações de UPPs não sei se consegue inibir a criminalidade assim do que jeito que eles dizem. Estava lendo uma matéria sobre esse assunto, que dizia que os traficantes e a bandidagem volta tudo novamente para os bairros onde foi implatada a UPPs. O que falta é pulso forte dos governanates pra acabar com essa criminalidade. Os marginais andam mais armados que as policias, por isso há tantos policiais corruptos. Muitos não se arriscam temendo sua própria vida, e por falta de equipamentos. Não sei de quem eu tenho mais medo "bandido ou policia". O Brasil está tentando mostrar serviço em segurança pública, tentando arrumar a casa pra fazer bonito na Copa do Mundo, mas será que essa segurança toda vai continuar depois que acabar as Olimpiadas? Só esperando pra ver , e torcendo para que nossas esperanças não fiquem espalhada pelos caminhos da vida.
    Bejos meu amigo e ótima semana.

    ResponderExcluir
  3. Pois é Paulo assim como vc eu tbm estou cheia de esperança, vamos ver, não podemos fazer nada a não ser esperar passar a copa e as olimpiadas, pois tenho uma leve desconfiança que isso não durará apos estes eventos!! Vamos ficar ligados!!! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá, Paulo Cesar... descobri seu blog por meio de blogueiros em comum. Seu texto me fez refletir muito a respeito dos reais interesses do governo, para com o combate à criminalidade no Rio. Mas, ainda quero acreditar que essa realidade irá mudar! Fiquei muito emocionada ao ouvir relatos de moradores da Rocinha, repletos de esperança de que um tempo de PAZ esteja realmente chegando! Assim desejamos!!! Abraços
    Joicy Fonseca

    ResponderExcluir
  5. Somos confiantes demais, meu amigo! Sempre buscam essas solução, que são louváveis, quando precisamos impressionar, diante de eventos...
    Sou meio desconfiada e penso sempre que estão empurrando a sujeira para debaixo do tapete. Mas torço para estar enganada.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Olá Paulo,
    Parece-me que o esforço do governo tem sido real e não apenas para "arrumar" a casa à vista dos jogos que se avizinham. O poder público tem procurado dar uma resposta aos apelos da sociedade. O combate ao tráfego e à criminalidade tem sido ferrenho, embora saibamos que é um processo a longo prazo.
    O importante é que algo está sendo feito, seja ou não em virtude das Olimpíadas ou Copa do Mundo.
    Temos que confiar e esperar resultados positivos. Quem sabe assim o Universo conspira a favor!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Coerente e ousado post!!!
    É pela sua coragem e pelo seu estilo de escrita que sempre retorno!

    Até...

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100