sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Por ter sido estuprada, afegã é condenada a prisão

Reprodução/CNN
Aos 21 anos de idade, ela precisou fazer uma dura escolha, permanecer na cadeia cumprindo uma pena de 12 anos por ter sido estuprada por um homem casado ou se unir ao agressor, o que pasmem vocês, lhe garantiria a liberdade. A afegã Gulnaz escolheu a segunda opção, pensando na filha de dois anos, que nasceu após o estupro. De acordo com o que informou à rede CNN, a afegã foi violentada pelo cunhado aos 19 anos. Com medo de represálias, ela preferiu não denunciar o agressor. Entretanto, passado algumas semanas, descobriu que estava grávida e o segredo foi revelado à família. Mesmo tendo sido vítima de estupro, Gulnaz foi julgada por adultério e condenada a 12 anos de prisão, assim como o cunhado. No Afeganistão, uma mulher somente recupera a honra e a liberdade após um estupro ou adultério caso se case com o criminoso. De acordo com a reportagem da CNN, o casamento legitimaria Gulnaz e a filha na sociedade afegã. Não obstante, um tribunal de Cabul, aceitou somente reduzir a pena de Gulnaz, de 12 para três anos, alegando que ela "demorou demais" para prestar queixa contra o cunhado. Rahmatullah Nazari, porta-voz do Procurador-Geral da capital afegã, disse à CNN que a investigação concluiu que o sexo foi consensual, por isso Gulnaz foi condenada por adultério. Se caso de estupro é encarado pelas autoridades afegãs como sexo consensual, o que seria um estupro então? Independente de qualquer questão religiosa, politica ou filosófica, não podemos aceitar em pleno seculo 21, mentalidades tão arcaicas, estupidas e sobretudo, desumanas na forma como muitos países tratam seus povos. Tudo muito triste, deplorável e condenável. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
9 Comentário(s)

9 comentários :

  1. Paulo, esse tipo de notícia me revolta, como essas sociedades estão em trevas, não obstante a cega religiosidade no qual estão imersa. Vemos claramente que esse tipo de decisão é algo puramente humano, não vou nem entrar no âmbito religioso, pois o Islã é uma religião cega, impiedosa e cheia de preceitos humanos que estão a anos luz da vontade de Deus, e louvo pela decisão dela, foi corajosa e eliminou qualquer possibilidade de convivência com esse estuprador maldito, e vejam só, esse canalha tem mais valor nessa sociedade do que essa jovem que foi vitima de estupro.

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
  2. Que absurdo uma cosa dessas!Como pode tanta evolução em alguns países e tanta mediocridade e bizarrice em outros!Não posso acreditar que aconteçam coisas como essas em algum lugar do planeta.Como disse o Paulo,é revoltante!A gente aqui,no Brasil,com liberdade demais para mulher,e nesse fim de mundo aí,as mulheres passando por situações que ninguém acredita!
    É $%#@!
    Bom fim de semana,PC!
    Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Olá, Paulo! INDIGNADA!! Uma notícia dessas relata a MEDIOCRIDADE de um povo! ABSURDO! Nem todos os xingamentos classificariam a aberração de tal acontecimento!! Mais uma vez, leis e religião querendo comandar decisões íntimas de nossas vidas! Cristo deixou o exemplo através da Madalena... e completou: "atire a primeira pedra quem nunca pecou"... Oras! Seriam eles mais que "deuses"??
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  4. Realmente é um absurdo nao tenho nem palavras.

    ResponderExcluir
  5. Nossa!!!
    ainda bem que existe lei Divina, se bem que... Por aqui ela ainda tem funcionado, apesar da Legitimidade, porém, é a minha esperança.

    Obrigada pelas visitas no Clube.
    Sua presença é importante para nós.
    Um grande abraço.

    Adriana
    Clube dos Novos Autores

    ResponderExcluir
  6. Um povo de costumes arcaicos onde prevalece a opinião machista!
    Ainda reclamamos do nosso país que é quase livre!
    Aqui ainda podemos nos expressar!
    Amandio relações publicas CNA
    Grato por visitar-nos e pelos comentários deixados no Clube http://clubnovosautores.blogspot.com/2011/11/amor-virtual.html#comment-form
    Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  7. É amigo, são coisas que não aceitamos...até quando esses povos* desumanos vão agir assim?
    É uma aberração mesmo, nos deixa revoltados sem entender bem essa questão*, e ela teve dignidade na decisão que tomou, que o Senhor modifique a mente dessa gente tão retrógrada, nem sei mais o que dizer, me embrulhou o estômago.
    Nesse ponto estamos bem, aqui no Brasil, demais!
    Beijos da Mery*, a outra da ervinha não sou eu, alguém se infiltrou no meu blog, estou chateada.
    Ótimo fim de semana pra ti.

    ResponderExcluir
  8. Oi PC!!
    Vc sumiu...pelo menos do meu blog!
    Tudo bom contigo?
    Ah essa lei do Afeganistão é mais do que revoltante..é abominável!!!
    Sabe enquanto essas religiões não pararem de lobotomizar o cérebro do povo nada vai mudar. E como se não bastasse o fanatismo, as mulheres nesse país são condenadas por fazerem parte de uma sociedade inteiramente machista que vangloriam o fato dos caras transarem com uma virgem..aposto que esse estuprador tá sendo abduzido porque ele simplesmente fez algo que o juiz e as pessoas que participaram da votação para condená-la, fazem o tempo todo.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. É difícil entender leis e costumes do gênero. Quando li a notícia, fiquei perplexa. O mundo precisa de urgentes mudanças pois a mulher, em muitos países, ainda não é "gente".
    Bjs.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100