quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Da tragédia do crack ao drama das chuvas, o Brasil segue combatendo os efeitos e ignorando as causas

Especialistas defendem a internação compulsória para parte dos viciados em crack. Contudo, ainda assim, eu pergunto: como o governo criará meios viáveis para o tratamento desses infortunados? Não há clínicas públicas estruturadas no país para receberem em grande quantidade, esses dependentes químicos, para receberem os tratamentos devidos. A bem da verdade, a situação que hoje se apresenta é o resultado da omissão de anos e anos do poder público. Alguém poderá questionar: o poder público tem culpa das pessoas tornarem-se viciadas e dependentes do crack? Eu digo que não. Mas se tivesse enfrentado o problema com a seriedade com que deveria, o drama não existiria na imensa proporção que hoje se apresenta. Aqui no Brasil atacamos os efeitos e não as causas. Assim tem sido com tantas outras mazelas nesse país. Deixamos para alertar sobre o perigo da AIDS no carnaval, como se fosse os quatro dias de folia a grande ameaça desse drama. Discutimos reforma na lei penal somente quando um grande e aterrorizante crime causa uma comoção nacional. A quantidade de crianças abandonadas e largadas pelo país afora só é lembrada quando uma chacina onde as vítimas são os menores acontece. A tragédia das chuvas só é lembrada quando uma outra já está acontecendo, como atualmente ocorre. Por tanto, não consigo olhar para o horizonte e enxergar ao longe a certeza de dias melhores. É triste afirmar e constatar, mas não vejo solução para essa ou qualquer outra das nossas mazelas enquanto no Brasil continuar se combatendo os efeitos e não as causas. Essa é a minha opinião.
Comentário(s)
7 Comentário(s)

7 comentários :

  1. Pois é Paulo, todos esses problemas poderiam ser amenizados ou ate mesmo resolvidos, mais o governo é tão lento quanto a maioria do povo brasileiro, que assim como o governo só lembra dos politicos corruptos quando algum aparece na midia, daí passasse 3 meses e tudo é esquecido!!
    Eu tenho esperança que isso um dia mude, só espero que ainda estejamos aqui!! Beijos e BOM DIA!!
    http://www.artesdosanjos.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá PCzão! Bom dia!

    Rapaz, esse foi o melhor texto que lí aqui!
    Você deu a notícia bem dada e externou a sua opinião muito lúcidamente! Parabens!

    Concordo contigo meu velho. Nosso país virou um país do faz de conta e ninguém acorda pra nada!

    Bom dia amigão, continue escrevendo assim!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Paulo César! Sabe "Alice, no país das maravilhas"... assim vejo nossos governantes que usufruem do poder para imagem própria tão somente! Onde moram não desaba. Sólidas construções. Não tem boca de fumo expressa nos becos das ruas, de repente, em ambientes com ar condicionado. A AIDS não assola; vez ou outra... um câncer obriga-os a tratamentos de última geração alhures... É triste a nossa realidade. Intervenção momentânea. Liberam-se verbas para assistências diversas enquanto ocorrem... campanhas solidárias... E, o que vemos? Desvio de tudo: verbas e doações. O acontecimento passado remonta ao presente. Nenhuma solução. Enquanto isso degrada-se a consciência cidadã que se vê desabrigada de seus mínimos direitos civis, os quais, aliás, constam da Constituição... pró forma! A realidade é bem outra!

    ResponderExcluir
  4. Bom, o título disse tudo, portanto, resta pouco a comentar que não seja repetir o que disse a tua reflexão, Paulo!

    Mas sabe, às vezes a gente critica os governantes por agirem só com a "corda no pescoço"... agora pergunto: será que no dia a dia, quantos de nós não são assim??? É aquela velha história, quem surgiu antes, o ovo ou a galinha? Ou seja, somos assim por causa de nossos governantes, ou eles são assim porque os escolhemos assim? rssss

    Quando vi aquelas imagens da Polícia "varrendo" a cracolândia e espalhando os zumbis para todo o lado, aquele povo desesperado pela droga e por proteção se amontoando em novos lugares, me veio a imagem do purgatório de Dante Alighieri, na Divina Comédia. Cena dantesca, mesmo... Triste ver irmãos nossos, verdadeiros farrapos humanos, sendo expurgados daquela maneira. E também, fazer o que? A coisa tá feita... deixaram rolar... assim como tu, não vejo uma resposta a respeito do que fazer...

    Agora, nesta época, com a seca do sul (recorrente) e a chuva no sudeste (também recorrente) é de dar tapa na cara da presidenta... todo mundo tá bem carequinha de saber que isso se repete há anos... desde que me conheço por gente é assim... e já era antes... por que não fazem nada para prevenir?

    Ontem ouvi o Deputado Paulo Pimenta (PT-RS) dizendo que dos bilhões aprovados para os agricultores, em anos anteriores, foi liberado ao destino 20%, no máximo. O restante fica como dinheiro "não aproveitado" e volta para os cofres federais... obviamente, ele estava indignado com essa situação! Não é de dar tapa na cara da presidenta e de presidentes anteriores?

    A coisa ainda está longe de melhorar, mas a gente vai tendo esperança e, pelo menos, rezando por dias mais abundantes para todos!

    ResponderExcluir
  5. Melhorias no nosso país ja ouvi muito, Ta longe hein? Parece que o brasileiro para diante do mundo, sendo que a Terra continua girando, e a espera de quem diz que pretende criar um Brasil melhor, reprisses das notícias vão se espalhando, é como se nao fosse algo novo, mas sim vítimas novas. E as lembrancas dos dos fatos que um dia marcaram o nosso país, vao perdendo destaque, ja que sempre aparece algo para nos suspender ainda mais. Mas em todos os assuntos é 'Um pouco mais do mesmo' . E a quem acredita em contos de fada! Sera mesmo que do jeito que ta tem como mudar?

    ResponderExcluir
  6. Olá Paulo,
    Realmente, os governos sempre pecam neste sentido. Nunca vão diretamente à causa dos problemas e vivem tentando apagar incêndios.
    Se o crack, por exemplo, tivesse merecido uma atenção maior, hoje não estaríamos presenciando os horrores de suas consequências.
    Não obstante, não consigo perder a confiança de que um dia haverá mudanças positivas a favor da povo brasileiro.

    Obrigada pela presença sempre atenciosa e carinhosa em meu recanto. Não pude vir ontem, pois uma "visita" tomou conta do meu computador
    (rsrsrsrs).

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Nossa eu vi sobre isto no jornal da noite dias atrás, agora não vou me lembrar os números mas ouvi que o Brasil emprega x número de reais em prevenção de tragédias e 10 x em tentar reverter os efeitos delas. Um retrato claro de descompromisso social e irresponsabilidade com a coisa pública, já que dos esfeitos trágicos não se pode fugir por causa da pressão da opinião, então que escoe este dinheiro todo somente para limpar a cara dos ditos administradores desta terra, danem-se o efeito que isso tem nos cofres público, dane-se o povo que irá passar por estas tragédias, importante mesmo é por o carão sem vergonha na Tv e dizer com aquela cara de consternação, "tudo faremos para atender as vítimas", Argh!

    Paulo meu amigo amado, não se preocupe com as visitas, empregue seu tempo nos seus inúmeros compromissos e afazeres, torço muito por você, que tenha sucesso em seu trabalho e em sua vida. Tenho estoques de beijos no coração que duram até a sua volta, quando você demora.

    Um beijo!

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100