terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Na greve da PM baiana, o exemplo flagrante da deficiência do setor público brasileiro

É óbvio que o setor privado tem suas falhas, e muitas, diga-se de passagem. Porém é no setor público que as deficiências são mais flagrantes.Todas as atividades no âmbito da administração pública tem sua considerável importância, contudo, três pilares são sustentáculos importantes nessa estrutura. São elas: educação, saúde e segurança. Por sinal, três atividades da esfera pública, absolutamente deficientes e abandonadas pelos governantes desse país.
Foto: O Globo
Estamos assistindo no noticiário com grande apreensão o que vem acontecendo na Bahia, onde a PM em greve há vários dias, vem travando uma queda de braços com os governantes enquanto a população sobre tensão, assiste a tudo. Dessas três atividades do setor público, aqui citadas, percebam que só a paralização da PM conseguiu gerar todo esse caos que estamos acompanhando na Bahia; isso considerando que a PM é parte da segurança pública, no que envolve outras policias, além dela. Pois imaginem vocês, se por ventura um dia parasse essas três atividades públicas de uma só vez, a saúde, a educação e a segurança. O país inteiro estaria mergulhado num verdadeiro caos. Esse fato que ocorre agora com a greve da PM baiana, como também ocorreu com a greve dos Bombeiros no Rio, não deve ser encarado como atos isolados. Na realidade, são sinais sintomáticos e que deveria merecer uma grande reflexão por parte dos governantes desse país. Fingir que esses movimentos, legítimos na sua maioria, são fatos isolados, é ignorar e subestimar a realidade que no futuro poderá nos surpreender. Essa é a minha opinião.
Contato: detudoumpoucominhaopiniao@yahoo.com.br
Comentário(s)
4 Comentário(s)

4 comentários :

  1. Olá PCzão meu companheiro!

    Realmente o setor publico tem muitos problemas. O maior que vejo aqui onde moro é que os funcionários publicos não tem muita vontade de trabalhar e de dar um atendimento de qualidade para o cidadão. Mas quando o salários ou as condiçõs de trabalho estão realmente ruins acho que eles tem todo o direito de fazer greves né! Mas os governantes deveriam fazer uma forma de eles poderem ser cobrados pela qualidade de serviço também.

    Gostei muito da mudada aqui no seu blog. Agora você sempre dá a sua opinião e isso é muito legal.

    Um abraço velho!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Paulo César, concordo com sua opinião mas ressalto uma preocupação. Sabemos dos irrisórios salários e condições trabalhistas, mas não estariam também infiltrando "sementes de discórdia, de bagunça generalizada intencionalmente? Haveriam grupos capazes disso? Afinal, por que bem na época das festividades carnavalescas? Interesses outros? Desestabilizar a economia turística no país? Se eu não estiver com pensamentos insanos... aguardemos a proximidade dos eventos esportivos no país... Ou seriam óbvias minhas conclusões? Espero estar errada, mas... sei não!!
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  3. Oi Paulo,

    O preocupante, no caso de Salvador, é que, ao que parece, os próprios policiais grevistas estão inflamando os ânimos no intuito de obterem a liberação de seus pleitos. Às atividades essenciais a greve é vedada. A função da polícia é proteger a população e não colocá-la em risco. Isto leva à insegurança e mesmo a duvidar do caráter desses policiais, ou sejam, daqueles que estão ajudando a provocar conflitos indesejáveis.
    Não sou contra o movimento grevista, mas, considerando a modalidade da categoria, creio que deveria ser um movimento organizado. Por seu lado, o governo deveria ser mais flexível objetivando o encerramento do movimento o mais rápido possível.
    Sabe-se que os policiais da Bahia não tem remuneração condigna nem de acordo com o risco da profissão.
    Não tenho dúvidas de que o governo está falhando em suas atribuições. Todas as categorias deveriam merecer remuneração justa, sem ter que se valer do instrumento da greve para obtê-la.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  4. Não concordo com essa forma de agir. Não é permitido a militares o exercício do direito de greve. Já temos tanta dificuldade em lidar com situações complicadas, envolvendo policiais, e presenciamos esse descaso deles para com a população baiana. Que homens são esses que fazem parte de uma corporação digna e, além de praticar delitos, ainda os incentivam, para forçar o acatamento de seu pleito? Não estou me referindo a salários, mas à dignidade que todos devemos manter, notadamente aqueles que têm por dever nos ajudar.

    Bjs.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100