sábado, 10 de março de 2012

Bin Laden

Reprodução: UOL
Segundo informações que circulam no noticiário mundial, o terrorista Osama Bin Laden, ex-líder da rede terrorista Al-Qaeda, morto no dia 1º de maio do ano passado, teria sido entregue aos americanos por uma de suas primeiras esposas, que sentia ciúmes de uma rival mais jovem na casa em que viviam. Na realidade, essa noticia se baseia na tese de um general paquistanês. Tese, essa, montada depois de uma longa investigação. Por certo, outros fatos relacionados com sua morte, mal explicada, diga-se de passagem, ainda surgirão. Suscitar uma questão, um tanto quanto nebulosa, pode não ser vista com tanta simpatia pela opinião pública mundial. Afinal, uma figura como Bin Laden, tão desprezível para a sociedade, não atrai nenhuma reação de defesa por sua memória. É óbvio que os atentados de 11 de setembro, que segou a vida de cerca de 3.000 pessoas nos Estados Unidos, produziram sentimentos de desprezo pelo terrorista. Ainda assim, entendo que nosso sentimento de dor e revolta não pode nos tornar assassinos, como o próprio foi. A dor de quem sofreu com aquele ato de monstruosidade, compartilhada com todo mundo, deve ser transformada, não pelo ódio; mas sim, pela sede de justiça. É isso que diferencia os seres civilizados e racionais, dos que pensam e agem com o gosto de sangue na boca. Lembremo-nos também, que a morte para Bin Laden, assim como para muitos terroristas, é um prêmio, uma honraria. É dessa maneira que boa parte deles (terroristas) enxergam à morte. A prisão, sim, é, de acordo com suas convicções ortodoxas, algo pior que a morte. Pois bem; prefiro continuar querendo saciar minha cede de justiça com os meios legais, corretos e justos que dispõe a sociedade, a ter que tomar do mesmo cálice de sangue que alimenta o sentimento de ódio mortal que habita no coração dos perversos; assim como perverso era, o próprio Bin Laden, de triste memória. Essa é a minha opinião.
Contato: detudoumpoucominhaopiniao@yahoo.com.br
Comentário(s)
4 Comentário(s)

4 comentários :

  1. Pagar sangue com sangue nos torna tão monstruosos que nem ele.
    Não é questão de ser superior nesse caso. É questão de ser humano e ter compaixão pelo próximo. A máxima compaixão que poderia ser dada a um homem como Bin Laden é passar a vida atrás das grades. O que, para ele, seria o inferno em vida. Mas isso se chama justiça..

    Tenha um ótimo sábado. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia!!Só vim fazer uma visitinha,beijos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Paulo! Bem! Penaaaa eu não tenho, não tenho mesmo, colhemos o que plantamos e quem planta violencia, infelizmete colhe a mesma, se isso for verdade, ele foi traído por quem mais confiava, sua esposa, por isso que digo sempre, não confie demais em sua mulher!
    rsrsrsrsrs.... Abraços

    ResponderExcluir
  4. Não me preocupo com esse ser, também não sinto penaaa...Era um doente mental, não tem outra explicação para o que ele fez; um terrorista é um perigo para a sociedade; que descanse na paz de Deus que é misericordioso; eu não!
    Tenha um excelente domingo, um forte abraço, Mery*

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100