segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Dilma vitoriosa nas urnas e Aécio vitorioso na eleição

Lula fez Dilma se tornar uma figura conhecida politicamente e ela ganhou vida própria depois. Chegou favorita na eleição presidencial de 2014 e saiu dela vitoriosa nas urnas. No percurso da campanha, esse favoritismo teve abalado. A morte trágica de Eduardo Campos (13/08), candidato do PSB, em um acidente de avião na cidade de Santos (SP), mudou a trajetória da campanha no meio do caminho. Marina Silva, que era vice de Eduardo, assumiu o lugar do ex-governador de Pernambuco e inclusive ameaçou a reeleição da petista. Mas ficou só nisso. Marina não conseguiu ir além e foi perdendo força. Ela caía nas pesquisas e Aécio, aos poucos, subia. O incrível é que o candidato do PSDB parecia liquidado na campanha. Até que na véspera da eleição, ele passou a candidata do PSB nas pesquisas. O tucano conquistou o segundo lugar na preferência do eleitorado e chegou assim ao segundo turno. Com isso, ele e a candidata do PT, Dilma Rousseff, protagonizaram uma emocionante e disputada eleição. Infelizmente, alguns órgãos de imprensa, agiram de forma patética e praticando um jornalismo de partidarismo. Condeno e repudio os imbecis que cometeram os atos de vandalismo contra a sede da Editora Abril, responsável pela Revista Veja. Um bando de idiotas. Mas, de igual modo, repudio e condeno o comportamento da revista em relação à campanha eleitoral. Há países em que a imprensa se posiciona politicamente a favor desse ou daquele candidato. E faz isso declaradamente. Pode parecer absurdo, mas é assim. Mas não é essa a discussão aqui. O que discuto é o modo como à citada revista fez isso. E não me refiro à publicação a respeito do doleiro. Não é disso que estou falando. Dilma foi eleita por maioria e isso precisa ser respeitado. Foi uma disputa acirradíssima entre os dois candidatos e emocionante para seus eleitores. Ela sai vitoriosa nas urnas e Aécio vitorioso na eleição. Antes que venham dizer que faço um discurso de petista pró-Dilma ou de tucano pró-Aécio, quero dizer que não faço parte de partido algum. Na verdade, minha visão quanto à política brasileira na sua forma de ser, me faz ser um descrente total nos políticos que aí estão e nos partidos da maneira como são. Trata-se de um jogo de interesses e nada mais. Nesse jogo, quem sempre sai perdendo é o povo; ganhando, só eles, os políticos. Das duas, uma: ou o povo ainda não se apercebeu disso ou se conformou com isso. É a minha opinião.
Comentário(s)
17 Comentário(s)

17 comentários :

  1. Contato: detudoumpoucominhaopiniao@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. A descrença política é imensa. Note-se as abstenções. Mas, omissão, acomodação, não é participação. Temos o dever de procurar sempre a construção de um país melhor e igualitário para todos. Exigir, fiscalizar e fazer juntos deve ser o nosso melhor meio de intervir.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Sabemos que o ser humano não é perfeito, mas para conferirmos um mandato a alguém, temos que saber nãos mãos de quem estamos depositando nosso destino. Aécio não é muito conhecido no Brasil e a campanha de Dilma, além de se voltar contra seu partido, ofendeu, inclusive, o próprio candidato .Encontrei, aqui em BH, propagandas partidárias do PT, sobrepostas às de Aécio, inaceitáveis. O PT, conhecemos bem. Está no poder há muitos anos. E são variadas as insatisfações populares a propósito de seu estilo de governo. Enfim, resta-nos esperar que, com uma oposição atenta, Dilma adote, pelo menos, uma pequena parte das providências indispensáveis à satisfação de nossos interesses. E os do próprio Brasil, respeitando a fundamental liberdade de imprensa. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um beijo no seu coração Marilene. Aguardemos agora o que vem por aí nos próximos quatro anos.

      Excluir
  4. Oi, Paulo!
    Agora com as denúncias de fraude e Toffoli conivente, penso que o sistema eleitoral não pode ser centralizado e que as urnas eletrôncias deveriam ser abolidas. Mas vamos às eleições... Nessas eleições o grande ganhador ao meu ver foi o Aécio que por pouco não ganhou, conquistando voto a voto, competindo com os projetos sociais agregado ao terrorismo, ao medo que colocaram no povo para não votar em Aécio. Além é claro, de baixarias do tipo "Bate em mulher", "cheirador", "bebado"... Enfim, agora o Brasil tem oposição e o Aécio se tornou o grande lider dessa oposição. Não vai ser fácil para a Dilma governar.
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luma, se o Aécio tiver maturidade política pra entender que na verdade ele saiu dessa eleição vitorioso e não derrotado, vai ser o grande líder da oposição a esse governo e possivelmente o futuro presidente do Brasil daqui a quatro anos. Prova disso é que o PT parece ter entendido isso e já acena com a possibilidade de Lula disputar a próxima eleição presidencial. Um beijo no seu coração, Luma.

      Excluir
  5. Eu fiquei triste, acho que em questões básicas o governo do PT está muito mal.
    O que mais me incomoda é a saúde falida e a criminalidade crescendo a passos largos. Também me incomoda o fato de tanta, mas tanta, mas tanta corrupção ser tratada pelo brasileiro como algo perdoável... É o fim da nossa moral??? Não sei ainda, vou pensar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, em se tratando de moral, os políticos na sua grande maioria, pode acreditar, já perderam ela faz tempo. Mas é importante destacar, meu caro André, que o partido do governo já teve uma ampla maioria neste país, e bota maioria nisso. A vitória nas urnas não retrata a satisfação popular com o governo que aí está. Observe que foi uma vitória apertada. Eu se fosse o governo, estaria preocupado com isso. Essa eleição deixa um indicador mais do que claro para o partido que governa o Brasil, ou tenta seduzir o eleitor que se desiludiu com ele e votou no candidato do PSDB ou corre o risco de perder mais eleitores e consequentemente ser derrotado na próxima eleição. As urnas não mostraram que o povo perdeu a moral como você mesmo questiona, apesar da vitória do governo, mas sim mostrou através de uma quantidade gigantesca de votos que quer mudança. Essa mudança pode não ter vindo agora, mas o sinal pra isso acontecer ficou muito claro pra mim.

      Excluir
  6. Segundo parece Dilma venceu mas não convenceu, já que praticamente dividiu o país. E quando assim é o mandato torna-se muito difícil. Porque das duas uma. Ou a politica do último mandato muda muito, ou as contestações na rua vão ser bem piores do que foram.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  7. Caro amigo, votei nulo, estou desacreditado de política, mas gostei do resultado, não queria o Aécio como presidente, seria um retrocesso maior do que ver o PT em mais um mandato.

    Grande abração pra ti PC.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milhões de brasileiros estão desacreditados na política, Paulo. Um grande abraço.

      Excluir
  8. Olá, PC! Pelo que ouvi dos comentários é a segunda opção, o povo já se conformou, mesmo. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia, é como eu disse, Das duas, uma. Um beijo no seu coração.

      Excluir
  9. Não fui votar.Nenhuma das duas opções me representam!!!Brasil,país da politicagem barata e nojenta.

    Beijão,PC!Dani.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não votar é uma forma de protesto sim. Não é omissão. Não se pode confundir as coisas. Um beijo no seu coração Dani.

      Excluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100