sábado, 13 de agosto de 2011

O assassinato da Juíza Patrícia Acioli no Rio revela mais um grande problema do país entre tantos outros

O assassinato brutal da juíza Patrícia Acioli no Município de Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro revela um preocupante número, 87 juízes estão sob ameaça no país, foi o que informou a corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Eliana Calmon. Essa constatação está baseada nos dados enviados por tribunais estaduais e federais ao Conselho. 87 Juízes sob ameaça no Brasil é um número que reflete a dura realidade que tem o país para combater o crime, sobretudo, o crime organizado. Como já é do conhecimento de todos foi assassinada no início da madrugada de sexta-feira (12/08) em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, a Juíza Patrícia Acioli, da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, Município também localizado na região metropolitana da capital Fluminense.
Foto: Jornal do Brasil
Patrícia, que tinha 44 anos foi morta com 21 tiros. O nosso país convive com os mais complexos problemas, e a natureza de cada um deles não segue uma ordem cronológica. Estão presentes no nosso cotidiano, na ordem do dia-a-dia a qualquer momento e em todos os lugares. Hoje é o crime, no dia seguinte pode ser saúde, depois poderá ser educação, política e assim caminha a humanidade, longe do fim de uma realidade. No Brasil priorizamos os problemas na medida em que eles acontecem sem estabelecer metas; e dessa maneira o país segue combatendo os efeitos e não a causa.
Comentário(s)
14 Comentário(s)

14 comentários :

  1. Paulo, como estás?
    Uma barbárie isso!
    Sabe? Vou te confessar uma coisa, muitas vezes não vejo TV, nem leio tragédias como essa no jornal. Principalmente, se tenho que escrever minhas histórias lá no blog, que tento, com humor despretensioso, levar um pouco de diversão as pessoas.
    Histórias como esta,fatos reais e horríveis, nos questionam sobre a raça humana, me dá vergonha, me enoja, e fico com dificuldades de escrever histórinhas de humor, num mundo tão cheio dessas maldades.
    Grande abraço, amigo!

    Ah! Você é radialista? De que rádio?

    ResponderExcluir
  2. Como ela mesma disse em uma entrevista, o juiz não decide sozinho. Era enérgica e aplicava duras penas, baseada, obviamente, nos dados do processo. Mas estamos presenciando, a cada dia, a eliminação das pessoas que, por qualquer razão, estão a prejudicar interesses de terceiros. No caso dela, reconhecidamente, do tráfico. Mas e aqueles que defendem, na simplicidade, interesses de outros, tão necessitados quanto os próprios, mortos em nome da ganância dos "senhores de engenho"?

    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Paulo,
    obrigada pela resposta lá no meu blog.
    Boa noite! Ops! Boa madrugada!
    Durma com os anjos.

    ResponderExcluir
  4. Olá PC,
    Realmente um assassinato bárbaro, cruel, sem explicação. Curiosamente, acabei de ler no O Globo, que supostamente mantinha relações com dois policiais. Não se sabe ao certo se é verdade ou não e fica difícil avaliar com precisão em todos os casos que ela estava envolvida.
    Uma coisa é certa: nada justifica tamanha violência.
    Um abraço e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  5. E o pior é que o estado não da o amparo adequado para esses juizes perseguidos, isso é um recado bem claro do crime para sociedade, dizendo"olha, estamos no controle "

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente,essas atrocidades com o ser humano acontecem todos os dias.Seja com uma juíza,seja com qualquer cidadão.A violência hoje domina o cenário do dia dia do brasileiro.Ceifam-nos de nossas vidas da forma mais covarde,mais brutal possível.
    Espero que esse caso,como os de outros cidadãos nem tão notórios assim,possa ser solucionado(sonha Danielle).Porque pior do que conviver com a violência nossa de cada dia,hora,minuto,segundo,é conviver com a impunidade esfregada em nossas caras,como se ela estivesse a rir de nossa impotència perante o descaso das pseudo autoridades,para as quais somos "cidadãos" somente na hora do voto.

    Beijão,PC!Obrigada sempre pelas lindas e sinceras palavras lá no blog,amigo.São sempre incentivos para mim,viu?
    Um sábado lindo pra ti!Dani.

    ResponderExcluir
  7. Paulo, essa notícia me fez sentir uma revolta tremenda, como aqueles magistrados malditos pode retirar a escolta de uma juiza marcada pra morrer que combatia de frente a bandidagem no meio da polícia? São raros pessoas assim, que arriscam suas vidas e de suas família para fazer o que muitos homens não têm coragem. Esse é o nosso país, uma merda!!!

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
  8. Muitas Vezes Deus Tira Alguem Que
    Amamos Tanto.
    Mais Esse Mesmo Deus Traz Alguem
    Que Aprendemos Amar..
    Por Isso NÃo Devemos Chorar
    Pelo Que Nos Foi Tirado
    E Sim ..Aprender A Amar O
    QUE Nos Foi Dado ..
    Nada Que È Nosso Vai Embora Para Sempre.
    A Você Com Muito carinho um
    feliz Domingo (DIA DOS PAIS)
    Beijos No Coração.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  9. Odeio estas coisas! Os bons são sempre os que caem nestas desgraças! Os maus quase nunca! Espero que não aconteça outra coisa igual!

    Abração!!!

    ResponderExcluir
  10. Mais uma vergonha para o país!
    Como pode juízes serem assassinados assim?
    Se começacemos a contar td de errado q acontece aqui não terminariamos nem quando chegasse 2016
    Abç Pc

    ResponderExcluir
  11. Amigo, sinto esse problema na pele. Minha família e eu temos sido ameaçados de morte por uma jovem louca e vigarista, que iludiu e se casou com meu sogro e agora reivindica para ela, não só os bens dele, como os da minha família. E nossa maravilhosa polícia, juntamente com a justiça alegam que nada podem fazer. Quer dizer, ela precisa matar um de nós para que se tome uma providência. É o fim! Que lei é esta? Que país é este?
    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Olá meu querido,definitivamente essa barbárie nós deixa perplexo. Li algo que dizia que Patrícia sofria ameaças há mais de 5 anos, mas não dispunha de segurança à sua disposição.

    Meu anjo, passa no meu blog que tem selinho com muito carinho para você.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  13. Olá Paulo,
    A força do crime, infelizmente, está maior do
    que a força que deveria proteger o cidadão.
    O mal deveria ser combatido em sua raiz. Como você salientou muito bem, a ausência de metas dificulta qualquer plano de ação.
    Aqueles que constituem ameaça à bandidagem são
    eliminados. Como se sentir seguro num país assim, quando a própria Justiça não consegue se
    proteger?
    Será que o retorno do regime militar mudaria o
    quadro?

    Paulo,
    obrigada pela presença gentil em meu blog.
    Tenha um abençoado "dia dos pais".
    Abração.

    ResponderExcluir
  14. Será que os bandidos eram tão ruim quantos esses policiais s a f a d o s que valem por 10 bandidos? Aí Beltrame Seus policiais são tão assustadores quanto os bandidos enfim, essas upps não vão adiantar de nada porque quando acabar os eventos internacionais essas upps vão virar milicias porque metade dos PMs são pior que bandidos.

    ResponderExcluir

Gostou do blog? Volte sempre que desejar. Dúvidas, sugestões, críticas ou qualquer outro assunto, entre em contato: detudoumpoucominhaopinião@yahoo.com.br

Números telefônicos de utilidade pública no Brasil

  • Delegacias Regionais do Trabalho - 158
  • Informações sobre oferta de emprego (Sine) – 157
  • Serviço Municipal – 156
  • Serviço Estadual – 155
  • Detran – 154
  • Guarda Municipal – 153
  • Ibama – 152
  • Procon – 151
  • Vigilância Sanitária – 150
  • Justiça Eleitoral – 148
  • Governo Federal – 138
  • Transporte Público – 118
  • Energia Elétrica – 116
  • Água e Esgoto – 115
  • Serviços ofertados pelas prestadoras dos Serviços de Comunicação Eletrônica de Massa – 106
  • Serviços oferecidos por prestadoras de serviços móveis de interesse coletivo – 105
  • Serviços ofertados por prestadoras de serviço telefônico fixo – 103
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Rodoviária Estadual – 198
  • Polícia Civil – 197
  • Polícia Federal – 194
  • Corpo de Bombeiros – 193
  • Ambulância – 192
  • Polícia Rodoviária Federal – 191
  • Polícia Militar – 190
  • Disque- Denúncia – 181
  • Delegacias especializadas no atendimento à Mulher – 180
  • Serviços de Emergência no âmbito do Mercosul – 128
  • Secretaria dos Direitos Humanos - 100